Banner de Exportação para PME'sPowered by Rock Convert

Um dos pilares que permitem às empresas do segmento têxtil se manterem competitivas no mercado é a inovação. Por meio de processos, ferramentas ou mudanças no modelo de negócio, o aprimoramento das rotinas é fundamental para o sucesso. 

Nesse sentido, a relação entre indústria têxtil e tecnologia se torna ainda mais estreita, uma vez que existem soluções capazes de ajudar a otimizar as rotinas. Além disso, é possível garantir que os negócios sejam geridos de acordo com a legislação.

Continue a leitura para saber mais sobre o assunto!

Saiba mais sobre a indústria têxtil

O setor da moda, na qual a indústria têxtil é um dos pilares, é um dos mais dinâmicos economicamente, com sua característica de lançar rapidamente produtos, com coleções que vêm e vão.

Um setor pulverizado no território nacional, com alguns polos têxteis e formado, fundamentalmente, por micro, pequenas e medias empresas e que no Brasil produz desde as fibras até às confecções..

Conheça as tecnologias voltadas para o setor

Neste setor é possivel identificar casos de tecnologias empregadas da grande empresa ao pequeno negócio

Relacionando indústria têxtil e tecnologia, a aplicação dos padrões GS1, podendo ser o código de barras ou o RFID (identificação por radiofrequência) – tecnologia que tem sido bem utilizada no setor da moda nos últimos anos, é fundamentalmente uma ferramenta capaz de levar sustentabilidade ao negócio e aumentar a eficiência..

A aplicação de etiquetas de RFID com o padrão EPC – Código Eletrônico do Produto, padrão conhecido por EPC/RFID, proporciona uma identificação eficiente dos produtos que automatiza as rotinas e processos.

Inovação que contribui para aumentar a precisão do estoque, ampliando a disponibilidade dos itens para venda, reduz erros e contribui para a rastreabilidade. Além de promover uma visão mais clara e detalhada das movimentações.

Descubra as vantagens do código de barras para a indústria têxtil

Existem diversas vantagens de se utilizar o código de barras na indústria têxtil. Nos próximos tópicos, falaremos mais sobre o assunto com a ajuda da Nicolle Castro, Executiva Sênior do Desenvolvimento Setorial da GS1 Brasil.

Adesão à chamada moda consciente

A moda consciente está se preocupa com a sustentabilidade, segundo Nicolle, “a codificação dos produtos na indústria com o padrão GS1 — reconhecido globalmente por mais de 150 países — faz com que os elos da cadeia de suprimentos não tenha recodificar um produto, gerar uma nova etiqueta, ou reimprimir uma codificação”.

Em outras palavras, da indústria até o varejo, todos os envolvidos vão conseguir ler e interpretar a informação sem que seja necessário um novo processo e pessoas envolvidas em retrabalho, o que gera uma despesa adicional e consumo de recursos materiais de impacto ambiental, como etiquetas e ribbons. Isso contribui para um negócio mais sustentável.

Codificação única

O uso dos padrões GS1 também faz com que os produtos tenham uma linguagem única e universal, um padrão global, capaz de identificar cada produto de maneira única e sem conflitos em todo o mundo. Na prática, isso representa uma diminuição drástica do risco de criar códigos errados e, como consequência, gerar retrabalho para os envolvidos

Nicolle afirma que “o estoque fica mais inteligente dessa forma. Quando o padrão é adotado, todos os elos da cadeia de abastecimento saem ganhando. De maneira geral, as operações logísticas são realizadas com maior eficiência, ajudando a reduzir custos e aprimorar os resultados”.

Melhora na qualidade do atendimento ao cliente e parceiros comerciais

Com uma codificação única, realizada pelo dono da marca, os parceiros comerciais e o consumidor final logo percebem os beneficios.

Segundo Nicolle, “a demanda por informação de produtos é crescente, seja pelos parceiros comerciais ou consumidores. E tais informações de produtos cadastradas no Cadastro Nacional de Produtos da GS1 Brasil, podem ser consultados, que oferecendo visibilidade e transparência.”

Para os parceiros comerciais, os dados complementadores dos produtos, possibilitam redução de custos logísticos e apoiam o e-commerce e omnichannel.

Vale destacar que os clientes estão cada vez mais conscientes, pesquisando e buscando formas de saber mais sobre o produto que consomem, portanto se preocupam com a composição e a procedência dos produtos que são adquiridos, com o código de barras em mãos, ele pode, por meio de aplicativos, ter mais informações sobre o produto, inclusive a garantia de origem do produto

Entenda a relação entre código de barras, nota fiscal e obrigações do GTIN

Com o Ajuste SINIEF nº 12/2017, que aprovou novas regras validação das Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e) e terá como chave principal o GTIN, é importante que os donos das marcas de todos os setores e que possuam produtos circulando no mercado com GTIN mantenham os dados cadastrais de seus produtos atualizados.

Os campos obrigatórios são:

GTIN
Marca
Tipo GTIN (8, 12, 13 ou 14 posições)
Descrição do Produto
Dados da classificação do produto (Segmento, Família, Classe e Subclasse/Bloco)
País  (Principal Mercado de Destino)
CEST (Quando existir)
NCM
Peso Bruto
Unidade de Medida do Peso Bruto
Foto do produto

A GS1 Brasil é responsável pela atribuição dos códigos, que são mantidos em um banco de dados nacional e utilizados pela secretaria da fazenda. Esse processo é responsável por validar as informações registradas na NF-e.

Sendo assim, ao mesmo tempo em que as empresas adotam um padrão que é reconhecido globalmente, conseguem se adequar às exigências feitas pelos órgãos que cuidam das fiscalizações. Essa codificação também pode proporcionar outros benefícios

Veja por onde a empresa pode começar

É muito comum que os gestores tenham dúvidas a respeito de como começar todo esse processo, o portal da GS1 Brasil oferece informações para o setor e orientação para solicitar seu código de barras.

Alem do mais contar com uma consultoria especializada, capaz de entender do seu negócio, necessidades e oportunidade realizar diagnósticos, que analisa todas os processos e as etapas envolvidas, as interfaces e os métodos de identificação ou codificação do produto, afim de realizar uma recomendações adequadas para adoção de boas práticas que ofereçam a empresa bases para alcançar um grau de maturidade para executar a rastreabilidade de seus produtos é um diferencial.

A relação entre indústria têxtil e tecnologia, como você pode ver, é bem próxima. Principalmente quando falamos de código de barras, automação dos processos, ganho em eficiência e rastreabilidade ao longo da cadeia de suprimentos, tal proximidade fica ainda mais evidente. 

Gostou deste artigo e quer continuar acompanhando outros assuntos ligados ao setor da moda? Então, não deixe de conferir alguns materiais úteis que separamos para você!

Banner para o Guia da Negociação: Como fechar mais negócios e otimizar seu resultadoPowered by Rock Convert