Desde a primeira Revolução Industrial, acontecida no século XVIII, o processo de produção sofreu diversas modificações.

Atualmente, vivemos a chamada Quarta Revolução Industrial, que tem características mais voltadas para a capacidade e velocidade de adaptação e evolução. Portanto, implementar código de barras na Indústria 4.0 pode agregar benefícios importantes.

Neste texto, vamos explicar o que é a indústria 4.0 e quais são suas principais características. Também abordaremos o conceito do código de barras e sua aplicação nas indústrias da quarta revolução. Boa leitura!

O que é a indústria 4.0?

Do ponto de vista histórico, a evolução do processo produtivo é dividido em 4 momentos distintos, são eles:

  • primeira Revolução Industrial — teve início no final do século XVIII com a utilização do vapor para a automação das máquinas utilizadas nas fábricas;

  • segunda revolução industrial — acontecida no século seguinte, foi marcada pela chegada da eletricidade e do uso de combustíveis fósseis para o melhor desempenho dos equipamentos;

  • terceira revolução industrial — estabelecida em meados do século XX, teve como ponto principal o surgimento da tecnologia da informação, que provocou um avanço significativo na automação das máquinas e na automatização dos processos;

  • quarta Revolução Industrial — irrompida recentemente, suas principais características vêm dos avanços da internet, que causaram uma aceleração no processo evolutivo de produção e consumo.

Sendo assim, da última revolução surgiram as indústrias 4.0.

Elas utilizam intensamente alta tecnologia, dados e informações para a melhoria constante dos processos. Dessa forma, as indústrias 4.0 conseguem garantir mais agilidade e adaptabilidade às mudanças impostas pelo mercado e pelos consumidores.

O que é o código de barras e qual sua importância?

O código de barras é uma representação gráfica de uma sequência de números que visa facilitar a identificação e o controle de um determinado produto. Ele pode ser constituído de quantidade diferentes de algarismos. Além disso, pode ser utilizado em diversos tipos de embalagens.

Apesar de muito simples, o código de barras tem a capacidade de oferecer muitos benefícios para a empresa. A seguir, vamos aprofundar um pouco mais em alguns dos principais. Acompanhe.

Formalização

A atribuição de um código de barras em um produto é um dos primeiros passos para torná-lo mais formal. Afinal, a presença dele já demonstra para o cliente que a empresa tem um mínimo de automação em seu processo produtivo.

Além disso, atualmente, para distribuir seus produtos na maioria dos estabelecimento comerciais, ele é um requisito básico. Isso acontece porque até os pequenos empresário têm utilizado softwares de gestão que usam o código de barras para identificação das mercadorias e controle de estoque.

Atendimento a requisitos legais

Alguns tipos de produtos e de negociações comerciais exigem, legalmente, a atribuição de um código de barras. Um exemplo disso é o mercado de exportação. Entre diversas obrigatoriedades, a presença do código de barras é a fundamental.

Rastreabilidade dos produtos

Como dito anteriormente, o código de barras é uma sequência numérica que representa um produto. Sendo assim, ele pode ser constituído de forma a identificar diversos fatores ao longo de seu processo de produção.

Além disso, o código pode ser atribuído a um cadastro em um sistema de gestão em que diversas informações podem ser associadas a ele. Dessa forma, sua utilização permite uma gama infinita de possibilidades.

Como utilizar o código de barras na indústria 4.0 de forma eficaz?

Explicados os dois conceitos (“indústria 4.0” e “código de barras”), vamos mostrar como é possível implementar código de barras na indústria 4.0 para aprimorar seus resultados.

Escolha o tipo e tamanho adequados

O código de barras pode ser de diferentes tipos. Cada um deles é mais indicado para uma situação específica. Portanto, é preciso entender melhor alguns pontos para determinar o tipo ideal. Os principais comercializados atualmente são:

  • EAN / UPC: usado na maioria dos bens de consumos vendidos nos pontos de vendas (PDV);

  • GS1 DataBar: é um código mais completo que o EAN / UPC e que ocupa um espaço menor, é ideal para alimentos perecíveis como frutas e legumes;

  • GS1-128: permite a codificação de diversas informações e é amplamente utilizado para rastreamento logístico;

  • ITF-14: é um código específico para impressão em caixas de papelão;

  • Data Matrix e QR Code: estes dois não são exatamente códigos de barras, mas sim uma evolução deles, por serem bidirecionais e permitirem a inclusão de uma quantidade muito maior de informações em espaços menores.

Sendo assim, o tipo de produto, o local da aplicação do código, os detalhes logísticos e até mesmo sua destinação podem influenciar na escolha do tipo e tamanho do código ideal. Inclusive, podem ser necessários mais de um código por produto ou por lote.

Como a indústria 4.0 preza pela evolução e aumento da utilização de dados, a tendência é que o QR Code substitua boa parte dos códigos de barras tradicionais em poucos anos.

Defina o melhor local para inserir o código no produto

Grande parte dos produtos que conhecemos traz o código de barras em suas embalagens. Porém, alguns deles podem estar no próprio produto. É o exemplo das roupas que costumam trazer o código em sua etiqueta ou de algumas frutas e legumes que trazem o código em etiquetas autoadesivas.

Escolha a ferramenta certa para a leitura

Com tantos tipos de códigos, também existem diferentes tipos de leitores. Por isso, é importante saber quais são os mais adequados para cada tipo de produto e cada uso do código.

Para os bens de consumo que são vendidos em qualquer PDV, os códigos de barras mais simples são os ideais. Eles são facilmente lidos pelos principais equipamentos disponíveis no mercado. Afinal, existe um padrão tanto para a elaboração do código quanto para os leitores.

Já o Data Matrix e o QR Code requerem um leitor diferenciado, já que são códigos bidirecionais, diferentemente dos códigos de barras que são lineares.

No varejo, a leitura de códigos de barras por meio de smartphone pode ser usada dentro de uma estratégia de omnichannel ou Buy Online Pickup In-Store (BOPIS). No entanto, para indústria 4.0, é fundamental contar com leitores ou coletores industriais que contam com maior performance, alta disponibilidade e segurança para o ambiente fabril.

De qualquer forma, é importante considerar esses fatores para escolher a opção que melhor atenderá a suas necessidades e às do cliente. Lembrando que a quarta revolução veio para facilitar o processo de evolução da produção. Portanto, o objetivo principal deve ser sempre proporcionar melhorias.

Como vimos, implementar código de barras na indústria 4.0 pode agregar benefícios importantes. Basta seguir algumas diretrizes e fazer a escolha mais adequada do tipo de código a ser utilizado.

Se você gostou deste artigo, aproveite para assinar a newsletter e receba conteúdos como este em seu e-mail.