Você sabe qual é a relação entre o Big Data e o setor de compras de uma empresa? Convenhamos que, hoje em dia, empreender está muito mais fácil do que há algumas décadas. O número de pequenas e médias empresas vem crescendo, o que gera uma demanda maior por sistemas de informação e bases facilitadas de dados.

A palavra de ordem é otimização, e isso envolve a utilização desses dados — inclusive no setor de compras de uma empresa. Partindo da máxima de que “informação é poder”, podemos dizer que as decisões tomadas a partir da análise de dados concretos são mais conscientes e têm mais chances de acerto.

Se você deseja entender melhor a relação entre o Big Data e o setor de compras da sua empresa, continue a leitura. Abaixo, tiramos algumas dúvidas sobre o assunto.

Afinal, o que é Big Data?

É um recurso utilizado que possibilita levantar e consultar um grande volume de dados, ainda que à distância. A ferramenta é útil já que, dependendo da quantidade de informação, é praticamente impossível armazená-la em sistemas simples de gestão — por mais otimizada que seja a sua tecnologia de compilação.

O surgimento do Big Data pode ser considerado, de certa forma, um marco na sociedade moderna, visto que estamos falando em uma ferramenta que vai de encontro à quantidade cada vez maior de dados gerados por minuto em todo o mundo. Dessa forma, o tempo de processamento para consultá-los certamente não seria condizente com a nossa real necessidade se não houvesse um mecanismo pensado especificamente para isso.

Como ele funciona?

Considerando que esse grande volume de dados gerados diariamente não é estruturado, a problemática do seu uso adequado se torna ainda mais evidente. Não é a toa que há empresas que contratam analistas especializados na consulta e avaliação dessas informações de modo a extrair as referências necessárias para garantir resultados positivos para o futuro da empresa.

Um bom exemplo de Big Data que podemos citar é o “Flu Trends” da Google, que visa analisar as tendências de propagação da gripe antes mesmo que os dados de pesquisas oficiais sobre o assunto tenham sido lançados.

Da mesma forma, o grande volume de dados disponíveis na internet, quando bem utilizado, permite avaliar também outros itens como desemprego e tendências de consumo do mercado — e é aí que entra a relação entre ele e a tomada de decisões na empresa.

Quais as vantagens da utilização do Big Data no setor de compras?

Se levarmos em conta que, quanto mais dados são gerados, maiores são as dificuldades em rastreá-los para encontrar as informações necessárias, fica mais fácil entender a importância do Big Data para as empresas de modo geral. Pensando mais especificamente no setor de compras, podemos afirmar que é possível utilizar a ferramenta como base estratégica na tomada de decisões.

Determinar o que é necessário comprar, seja em termos de matéria-prima, seja de insumos para a produção, é um processo que está suscetível a riscos. Para atenuar esses riscos, você pode fazer uma análise de comportamentos passados, baseando-se em dados reais por meio da consulta pelo Big Data.

Como o Big Data pode ser utilizado no setor de compras?

Para consultar esses grandes bancos de dados e utilizá-los para definir as compras da empresa, é necessário saber quais informações precisam ser levadas em conta. O primeiro passo é ter consciência de que coletar dados de um único local pode ser duvidoso, e por isso, ideal é que eles sejam considerados levando-se em conta diversos períodos, locais e formatos.

A escolha de um fornecedor, por exemplo, não deve ser baseada somente no preço. Esse dado é importante, sem dúvidas, mas deve ser confrontado com prazos de entrega e qualidade do produto, por exemplo. Percebeu a importância de considerar os dados coletados sob todas as vertentes? Além disso, um bom gerenciamento de estoque se faz necessário, no sentido de determinar o que exatamente é necessário comprar.

Para isso, as ferramentas tecnológicas também são muito úteis. Um bom exemplo é a utilização do código de barras, que permite otimizar os processos de entrada e saída de mercadorias da sua empresa, a partir de um leitor óptico. As consultas também se tornam mais rápidas, uma vez que você pode rastrear os produtos disponíveis diretamente na tela do seu computador com poucos cliques.

Além disso, o bom uso do Big Data também deve estar relacionado com a organização do histórico e das informações internas da sua empresa.

De que forma o Big Data impacta no setor de compras?

Utilizar o Big Data no setor de compras é uma forma de aproveitar o grande volume de informações existentes na rede a nosso favor. A partir de uma análise de tendências comportamentais do mercado, a estimativa de volume de produção se torna possível, e isso envolve a tomada de decisões no que diz respeito ao que comprar.

Conhecer a opinião do consumidor sobre possíveis fornecedores ajuda a analisar se as vantagens anunciadas por ele são condizentes com a realidade. Dessa forma, o setor corre menos riscos de enfrentar problemas, sejam eles relacionados a prazos ou mercadorias com defeito.

Podemos considerar ainda que as ações que ocorrem no departamento se tornam mais alinhadas e efetivas, já que até mesmo sazonalidades e necessidades pontuais passam a ser objeto de estudo. No atual contexto em que vivemos, ações preventivas costumam ser a melhor saída para evitar eventos inesperados ou até mesmo prejuízos na empresa, e é nesse sentido que o uso do Big Data se torna essencial.

Como se pode ver, a relação entre o Big Data e o setor de compras vem se tornando a cada dia mais estreita e frutífera. Independentemente do porte da sua empresa, você também pode contar com as vantagens dessa importante ferramenta. Para isso, basta utilizá-la com inteligência e senso crítico.

Se este post foi útil para você, que já está até pensando em estratégias para uso do Big Data, não deixe de assinar a nossa newsletter e ter acesso a outros conteúdos similares.