Banner para o guia Inovação, o futuro dos negócios. Guia Missão Técnica GS1 Brasil — AlemanhaPowered by Rock Convert
Banner de Exportação para PME'sPowered by Rock Convert

Este conteúdo foi atualizado no dia 04 de maio de 2018.

A capacidade de se renovar constantemente é uma das habilidades mais importantes de um empreendedor nos dias de hoje. Buscar a inovação como estratégia competitiva representa um potencial enorme de crescimento para a empresa.

No entanto, é fundamental perceber que ideias aleatórias e qualquer tipo de melhoria não podem ser simplesmente rotulados como inovadores. Para que sejam considerados como tal, eles devem ser revolucionários, ou seja, gerar algum valor: econômico, estratégico ou outros, desde que relevantes para o negócio.

Na verdade, o processo de inovação está alinhado ao fato de o gestor estar aberto para adotar novos conceitos e processos para a sustentabilidade da organização. Muitos preferem não tomar atitudes consideradas mais ousadas por medo de arriscar. E você, o que pensa sobre isso?

Preparamos o post de hoje para ajudar na reflexão a respeito desse assunto. Acompanhe e tire as suas próprias conclusões!

Quais são os tipos de gestão de inovação?

As possibilidades de inovar são bem diversificadas e abrangem, além de alterações impactantes no próprio produto, melhorias no processo de gestão e marketing.

Outros modelos tratam de novos mercados, processos, fontes de suprimentos e métodos organizacionais. O ponto em comum fica por conta do objetivo, que é sempre oferecer um diferencial ao público. Conheça os principais tipos:

Inovação de produto

Consiste em promover a inovação a partir do lançamento de um produto novo ou fazer modificações nas características de um já existente para que ele seja percebido de forma diferente pelo consumidor, ou seja, se torne mais atrativo.

Inovação de processo

É a implementação de métodos diferenciados, como mudanças técnicas em equipamentos ou softwares. Geralmente, esse tipo de inovação não causa impacto direto no produto final, mas proporciona redução de custos e aumento da produtividade.

Inovação de marketing

É a aplicação de um método de marketing novo, focado para atender às necessidades do consumidor conforme as mudanças de comportamento de compra na sociedade. Contempla alterações na concepção do produto, embalagem, posicionamento no mercado, promoção, fixação de preços, entre outros.

Inovação de modelo de negócio

A inovação de modelo de negócio é voltada para o aperfeiçoamento na forma como um produto ou serviço é oferecido ao consumidor. Em outras palavras, é agregar valor a um determinado produto para conquistar e fidelizar clientes.

Inovar é mesmo importante?

Houve um tempo em que o consumidor ficava horas em uma fila esperando o funcionário do supermercado somar manualmente o valor de cada produto na máquina registradora. Nessa época, empresas de todos os portes sofriam com a ausência de uma tecnologia capaz de ler e registrar dados de maneira eficiente.

Foi então que Joseph Woodland e Bernard Silver, dois estudantes americanos, desenvolveram um projeto que resultou no que conhecemos por código de barras, um recurso simples, que consiste em identificar cada produto de maneira única e exclusiva. Hoje, inúmeras empresas se beneficiam dessa alternativa para registrar entrada e saída de mercadorias.

Nesse caso, uma grande ideia nasceu a partir da necessidade. Dentro das corporações, é preciso saber o momento certo de investir esforços para implantar uma gestão inovadora. Há diversas situações que exigem esse tipo de comportamento: produto parado no estoque (é necessário estudar os motivos antes de aplicar a inovação), lançamento de um novo item, mudanças de consumo que pedem novas estratégias etc.

Como trabalhar a inovação como estratégia competitiva?

A dinâmica de uma gestão de inovação depende, essencialmente, de alguns aspectos, como: nicho do negócio, realidade de mercado, objetivos, maturidade e público-alvo. Falando mais genericamente, essa é uma ação que pode ocorrer de maneira formal ou informal, o que deve ser uma escolha do gestor.

O importante é desenvolver uma sistematização de práticas e procedimentos que permitam orientar o fluxo criativo e alinhar as ideias aos objetivos da empresa por meio de pesquisas, análises e estudo de tendências. Em todo caso, a disciplina deve prevalecer. Caso contrário, as pessoas costumam deixar tudo para depois.

A criatividade é um recurso indispensável para a formação de projetos atrativos e transformadores: é uma cultura que deve fazer parte da rotina da empresa. Outro ponto essencial para o sucesso do projeto é ter uma visão focada no futuro, daí a necessidade de acompanhar tendências e se manter sempre bem informado sobre as novas tecnologias.

O processo de produção das ideias é extremamente dinâmico e requer monitoramento, análise, atualização e redirecionamento periódico das ações. Além disso, é necessário ficar atento a estes quatro pilares: capacitação de pessoal, clareza de objetivos da estratégia, eficácia dos processos e disponibilidade dos recursos.

Um dos desafios é diminuir o período da fase de formulação de ideias e passar para a de comercialização. Para isso, é preciso investir em treinamento de equipe, pois as pessoas são a base do processo de inovação. Elas contribuem com ideias, insights e sugestões para a personificação do projeto.

Empresas que conseguem acelerar o lançamento de novos produtos ou serviços de uma forma criativa e eficiente se destacam da concorrência e criam as condições necessárias para satisfazer o cliente. Isso faz com que o reconhecimento da marca aumente consideravelmente.

Uma grande vantagem de promover inovação é atingir pioneirismo no que faz e assegurar uma condição de monopólio, mesmo que seja por um tempo determinado. Muitas empresas se beneficiam dessa estratégia por meio de planos premium, que cobram um preço diferenciado pelo produto sob a justificativa do valor agregado.

Convém lembrar que o marketing é o principal responsável por fazer com que o consumidor perceba esse valor. Não basta somente lançar o produto, mas fazer com que ele seja o “queridinho” dos usuários. Para conseguir esse efeito, é interessante planejar um esquema que contemple a promoção tanto em veículos tradicionais (TV, outdoor, panfletos), como em mídia digital (tráfego orgânico e pago).

Mas como inovar e criar vantagem competitiva ao mesmo tempo?

A inovação pode ser considerada uma estratégia para alavancar as vendas da empresa. Um grande erro é pensar que investir em tecnologia representa um custo, que impactará negativamente os lucros.

Na verdade, o que acontece é o inverso: inovar significa oferecer vantagens ao consumidor e, com isso, ganhar a sua confiança e fidelidade. Consequentemente, haverá um aumento nas vendas, devido a essa vantagem sobre seus concorrentes.

Entretanto, é importante pensar que tipo de inovação se deseja implantar: muitas vezes elas não trazem os resultados esperados por erros de estratégia. Qualquer mudança demanda pesquisas e análises, afinal, de nada adianta investir em uma ferramenta que não fará a menor diferença nos resultados da sua empresa.

E essa análise deve ser feita de maneira individual, afinal, nem tudo o que funciona para uma empresa de um segmento diferente do seu será, de fato, benéfico para a sua organização.

Inovar exige mudança cultural?

Quando falamos em inovação, algumas pessoas pensam imediatamente em inovações mais radicais. Entretanto, nem sempre elas trazem o resultado esperado. Muitos empresários, na sede de surpreender o público, acabam errando (feio) na dose.

É importante ter em mente que, para dar certo, uma inovação radical pressupõe uma mudança no comportamento e nos hábitos de consumo do público-alvo. É por isso que algumas acabam gerando efeitos desastrosos.

Caso a sua ideia siga um pouco essa linha, talvez ela precise ser gerenciada e “lapidada”. A introdução de qualquer novidade no mercado exige a conquista da confiança do consumidor, que deve estar receptivo a ela.

Não criar esse ambiente previamente pode resultar em uma resistência por parte do comprador, o que fará com que ele se afaste. Como você quer exatamente o contrário, o primeiro passo deve ser aproximar-se dele.

Com boas estratégias de marketing, é possível conquistar um público específico, que esteja sempre ávido por novidades, e até mesmo chegar aos mais conservadores.

Como inovar em diversas áreas e garantir a lucratividade?

A inovação deve ser enxergada como um processo. Não basta deixar a criatividade fluir: é claro que ela é importantíssima, mas toda nova ideia precisa ser analisada, mensurada, testada e acompanhada.

Mas uma coisa é fato: toda empresa que está em constante processo de inovação tem grandes chances de conquistar a maior fatia do mercado, afinal, oferecer o mesmo que todos os outros não a faz diferente dos seus concorrentes.

Esse “chegar primeiro” é o que faz com que uma organização consiga bons resultados, sem precisar investir valores extremos. Aliás, a análise da viabilidade do investimento desses valores, sejam eles quais forem, também é parte essencial da estratégia.

Como você pode ver, investir em inovação como estratégia competitiva é um excelente recurso para quem deseja expandir os negócios e dar passos mais largos no campo do empreendedorismo.

Afinal, o consumidor de hoje tem à sua disposição um grande universo de possibilidades e opções de escolha. O que você acha que faria com que ele escolhesse a sua empresa? Só mesmo uma estratégia competitiva eficiente! Para conquistá-lo, é preciso oferecer uma boa experiência de compra. Pense nisso!

Gostou de saber um pouco mais sobre inovação? Aproveite este momento para ler também este post sobre estratégias de diferenciação para pequenos negócios!

Banner Tudo que você precisa saber sobre Código de BarrasPowered by Rock Convert
Banner para o Guia da Negociação: Como fechar mais negócios e otimizar seu resultadoPowered by Rock Convert