Conteúdo atualizado em julho de 2019.

Em praticamente todos os produtos que consumimos, o código de barras está presente. Ele funciona como um “RG” e ajuda na identificação desses itens. Porém, para isso, é necessário dispor de uma ferramenta que seja capaz de fazer a leitura do padrão e transformá-lo em informação: é aí que entra o leitor de código de barras.

Se a ideia do código de barras é facilitar processos de registro e estocagem, o leitor funciona como um complemento, uma ferramenta capaz de agilizar o lançamento de mercadorias no sistema, já que basta apontá-lo para a embalagem e ver as informações instantaneamente. 

Neste post, vamos explicar melhor como funciona esse mecanismo e como a leitura é feita. Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue acompanhando e confira agora mesmo!

Como funciona o mecanismo do código de barras?

As barras são a representação gráfica dos números que ficam situados logo abaixo delas. Elas representam um código binário (de 1 ou 0), seguindo a lógica da computação para formar os dados. Nesse caso, os números 1 são representados pelas faixas pretas, enquanto os números 0 são constituídos pelas brancas.

Nele, cada algarismo tem um significado e uma razão para estar ali. Para você entender melhor, veja a seguir como o código numérico funciona.

Três barras iniciais

Sinalizam que, logo em seguida, o código do produto será descrito. Trata-se de uma espécie de introdução do código. Antes das barras, costuma aparecer o número 7 (que indica que o produto é brasileiro). Isso acontece porque os números não ficam bem alinhados com elas.

Primeiros três números

Eles indicam o país em que o produto foi cadastrado. No caso do Brasil, ele é representado pela sequência 789. Vale ressaltar que ele é referente à origem do cadastro do item, e não de sua fabricação.

Segundo bloco de números

Esse grupo pode conter até 9 dígitos, é conhecido como “número de referência do produto. Existe um controle rigoroso dos códigos para que não haja duplicidade entre fabricantes diferentes. É por isso que é tão importante registrar-se devidamente para iniciar a emissão dos seus códigos. 

Dígito verificador

O último número da sequência é utilizado para avaliar a leitura do código. Para tal, o computador faz uma série de cálculos com os números restantes e valida se o item foi lido corretamente, caso o resultado seja igual ao dígito.

Quais são os conceitos por trás do código de barras e como eles influenciam na leitura?

Até aqui, explicamos sobre barras, espaços em branco, caracteres e números iniciais e finais. Cada um desses pontos tem um papel fundamental na composição de um código de barras e influencia na forma como a leitura é realizada. Veja:

  • barra: é a parte escura do código. Quando a leitura é feita, ela absorve a luz e codifica cada parte com o código 1;

  • espaço: é a parte clara do código, que reflete a luz do leitor, e seus módulos são codificados com o código 0;

  • caracteres: números do código que são codificados por meio das barras (pretas ou brancas); 

  • caractere inicial e final: indicam o início e o fim do código. São comumente representados por números, mas, dependendo do código, também podem ser representados por letras ou símbolos;

  • módulo: consiste em um traço mais fino que compõe cada barra ou espaço. Quanto mais largo ele for, mais caracteres ele tem. Ou seja, seu tamanho é definido pela densidade do código de barras, sendo que ele é a unidade mínima que compõe uma barra ou espaço;

  • sinais de enquadramento: área em que todos os elementos do código devem estar inseridos, delimitada por um espaço retangular.

Como se pode ver, cada um dos elementos tem uma função bem específica na construção do código e sua combinação é responsável por proporcionar a leitura do código de barras com a sequência numérica que o acompanha.

Como funciona o leitor de código de barras?

O leitor de código de barras, também chamado de scanner, emite um feixe de luz vermelha que percorre as barras, fazendo o seu reconhecimento por meio da cor — ou pela ausência dela.

No caso das barras pretas, o leitor absorve a luz e, nas barras brancas, ele reflete. Isso permite a interpretação do código, que converte a informação no código binário — 1 para preto e 0 para branco, como citamos acima. Pode-se notar que cada barra tem uma espessura diferente, o que representa caracteres distintos.

Para fazer a leitura do código de barras, basta posicionar o produto no traço vermelho do leitor, de forma que ele consiga “varrer” todas as barras. Em instantes, as informações são capturadas e repassadas ao computador, que faz a conversão dos dados.

Então, para usar um leitor óptico de código de barras, basta fazer a inserção do documento na fenda que está presente no leitor. Assim, o leitor faz a captura das informações em poucos segundos e repassa os dados ao computador.

A partir daí, o computador realiza todos os cálculos (como informamos anteriormente) e retorna com todas as informações referentes ao produto dentro do seu cadastro no sistema: unidade de venda, descrição, valor, entre outras. Quando a leitura não é feita corretamente, é exibida uma mensagem de erro na tela.

Apesar da complexidade, todo o processo dura segundos — o que garante agilidade na identificação dos itens, na separação dos produtos no estoque, na rotina de inventários e na venda.

Existem diversas tecnologias relacionadas ao leitor de código de barras, cada uma com benefícios e aplicações distintas, que permitem que pequenos empresários também tenham acesso a esse recurso e melhorem suas operações.

Quais são os tipos de leitores que podem ser utilizados?

Existem três principais tipos de leitores à laser lineares. Falaremos sobre cada um deles nos próximos tópicos..

Leitor manual CCD

Trata-se de um modelo mais simples, indicado para códigos com boa definição e que não sejam pequenos. A leitura se dá por um feixe de LED de pouca precisão, o que dificulta seu uso em superfícies curvadas ou embalagens molhadas. Também existe um limite de distância de 10 cm entre o leitor e a embalagem para que o código seja captado.

Por essas razões, atende a demandas reduzidas, como escritórios e pequenas lojas de conveniência. Não é recomendado para negócios de médio e grande porte e com muita variedade de produtos, levando-se em conta suas limitações.

Leitor manual laser

Embora seja relativamente mais caro, é mais robusto que o anterior, portanto, é bem eficiente para estabelecimentos que contam com grande fluxo de pessoas, como é o caso de uma farmácia ou um armazém que recebe altos volumes de produtos.

O laser surge como um feixe de luz, capaz de realizar leitura a distâncias maiores que o CCD. A variedade de modelos de leitor a laser existentes no mercado é grande e há, inclusive, as versões sem fio, que conferem maior praticidade e versatilidade ao usuário. 

Leitor fixo laser

Por fim, o leitor fixo laser, como o próprio nome sugere, é aquele instalado em um local, de modo que os produtos é que são apontados para ele, e não o contrário. Por visar também a otimização de espaço, é mais indicado para empresas que lidam com volumes altos de produtos e de fluxos de pessoas. É o caso de supermercados e grandes lojas, por exemplo.

Qual é a importância do leitor de código de barras para o mercado?

Se, por um lado, o código de barras ajuda na identificação e na indicação da procedência dos produtos — aumentando a confiabilidade —, por outro, isso só é possível se uma empresa investir nesse mecanismo para realizar a leitura.

A partir do momento em que um negócio passa a utilizar esse scanner em suas operações, ele pode aprimorar os processos de várias áreas, como:

  • compras em um ponto de venda (os caixas);

  • terminais para consulta de preços (como os utilizados nos corredores de supermercados);

  • controle de estoque (com entradas e saídas);

  • realização de inventário de materiais.

Isso quer dizer que ele é importante não apenas no momento da venda, já que pode contribuir em outras rotinas que também são muito relevantes para os resultados do negócio.

Como escolher o melhor leitor de código de barras para minha empresa?

A escolha do leitor de código de barras deve ser um processo consciente, já que ele impactará diretamente o dia a dia do seu negócio. Além de analisar o modelo indicado para cada tipo e porte de negócio, é importante seguir alguns passos:

  1. definir os tipos de códigos que serão lidos: mais que o porte da sua empresa, o leitor escolhido precisa atender aos modelos de código presentes nos itens que você comercializa. Além disso, há os códigos 1D e 2D;

  2. determinar a forma de leitura: como vimos acima, existem leitores que permitem o registro, mesmo que a distâncias maiores do código lido. Existe ainda a opção do leitor físico, normalmente empregado em locais onde há filas;

  3. identificar o tipo de tecnologia de leitura: cada tecnologia de leitura empregada tem suas vantagens e particularidades. Para compreender qual a melhor para você, analise o volume de itens do seu negócio, além do local e das circunstâncias nos quais a leitura será feita. Vale conhecer um pouco dos modelos disponíveis para fazer uma análise mais consciente;

  4. conhecer a interface utilizada: a agilidade na leitura está diretamente ligada à interface utilizada pelo leitor escolhido. Alguns funcionam via USB, outros contam com Bluetooth e há ainda os que dependem da interface do teclado. De qualquer forma, a estrutura empregada para leitura e a necessidade do negócio são os fatores que determinarão a melhor escolha.

Como ele contribui para melhorar os processos na empresa?

A combinação do uso do código de barras com um scanner que viabilize sua leitura proporciona diversos benefícios para um negócio. Vamos conhecê-los a seguir.

Ganho de agilidade

Além de tornar o atendimento aos clientes mais rápido, ele também ajuda na hora de registrar os produtos e controlar o estoque. Dessa forma, o uso do leitor praticamente elimina a digitação manual desses códigos, automatizando o processo.

Maior exatidão

Já que os códigos funcionam como uma identidade, isso quer dizer que eles não se repetem. Assim, é possível assegurar total exatidão na leitura, o que contribui para evitar erros e outros tipos de falhas.

Mais facilidade

O uso de um leitor de código de barras é tão simples que dispensa a necessidade de treinamento. Também há a facilidade no controle do cadastro dos produtos, uma vez que as informações são atualizadas em tempo real, permitindo alterações rápidas.

Aumento da segurança

automatização do processo de leitura contribui para a queda drástica de erros humanos no momento da digitação. Com a leitura totalmente segura, elimina-se a necessidade de retrabalho. E, com isso, os custos relacionados a essas falhas caem de forma considerável.

Ganho em eficiência

A redução de erros e o ganho em agilidade garantem a eficiência dos processos. Isso acontece visto que as tarefas passam a ser feitas em menos tempo e com grande acurácia. Isso também contribui para aumentar a produtividade das equipes.

Aumento da satisfação dos clientes

A modernização dos processos e o aumento da agilidade no atendimento são dois fatores que influenciam na satisfação dos clientes e na confiança que eles têm em uma empresa. Lembrando que isso é um grande passo para a fidelização.

O leitor de código de barras é um dispositivo fundamental para a realização da leitura e para a implantação desse sistema como forma de identificação dos produtos. Suas aplicações são variadas, abrangendo desde pequenas mercearias que querem otimizar o processo de pagamento no caixa até grandes empresas que precisam aprimorar os métodos de gestão de estoque.

Suas dúvidas sobre o assunto foram esclarecidas? Está à procura de mecanismos e informações para implantação do código de barras em seu estabelecimento? Então, entre em contato conosco e conheça o nosso trabalho. Podemos ajudá-lo com esse importante passo para a sua empresa.

Banner Tudo que você precisa saber sobre Código de BarrasPowered by Rock Convert