Banner de Exportação para PME'sPowered by Rock Convert

Enviar produtos para o exterior requer certos procedimentos, inclusive quanto às embalagens. O produto exportado precisa estar bem acondicionado e seguir as exigências do mercado. Criar uma embalagem de qualidade, inclusive, é importante para divulgar sua marca e estimular as compras. Logo, investir em proteção de alto nível é uma estratégia para melhorar as vendas. Quer saber por quê? Então confira o post de hoje e sigas as dicas que preparamos para você!

\r\n

Pesquise

\r\n

É preciso analisar o mercado específico em que seu produto circula para ter uma ideia das tendências vigentes e desenvolver um design bem direcionado. Por isso, pesquise sobre o mercado em questão e saiba quais são suas características. Quanto mais detalhadas as informações sobre o nicho específico do produto, melhor será para a criação da embalagem ideal.

\r\n

Crie uma logomarca

\r\n

A logomarca funciona como a identidade visual da empresa, representa sua própria marca. Ela deve estar presente em todas as suas embalagens, independentemente do design específico. Dessa forma, se a empresa negocia diferentes produtos, poderá desenvolver embalagens variadas para cada tipo, mas padronizará todas com a presença da logomarca.

\r\n

Tenha a funcionalidade como foco

\r\n

É importante que sua embalagem seja funcional, ou seja, que cumpra sua função de acondicionar bem o produto, protegendo contra impactos e deterioração. Tratando-se de exportações, esses cuidados devem ser maiores ainda, visando garantir a integridade da mercadoria no decorrer da viagem.

\r\n

A boa embalagem deve proteger contra possíveis danos, deve ser fácil de abrir e manusear, e precisa ser feita de material compatível com o produto que envolve. Ela pode também servir para outra coisa depois de ser retirado o produto (exemplo de multifuncionalidade).

\r\n

Existem embalagens plásticas, de madeira, de papel-cartão, vidro, metal (aço, alumínio, etc.) e assim por diante. Para garantir a melhor conservação e integridade do produto, algumas delas reúnem diferentes camadas de materiais.

\r\n

Em resumo: a embalagem deve oferecer segurança, conveniência e estar dentro das regras.

\r\n

Aposte no design

\r\n

Após a pesquisa de mercado, o time de design precisará usar sua criatividade e a tecnologia para desenvolver algo atrativo. Algumas embalagens podem tomar a forma do próprio produto ou simbolizá-lo (como uma escova de dente para produtos odontológicos); outras podem assumir uma forma geométrica específica ou diferentes formas integradas (círculo, cilindro, cone, triângulo e outras) que lhe dão uma morfologia especial.

\r\n

Esse modelo tem sido muito utilizado no mercado, justamente por ser inovador e arrojado. O uso de formas mistas passa a ideia de movimento e de ação — que é exatamente o que alguns consumidores esperam do produto.

\r\n

Aliar o uso de cores certas à forma pode dar resultados surpreendentes. As cores podem ser quentes ou frias, ou uma combinação dos dois tipos, conforme o produto e a ideia que ele passa.

\r\n

Apele para recursos multissensoriais

\r\n

Mais uma vez, ressalta-se a necessidade de agregar recursos múltiplos, como no caso da morfologia mista e da multifuncionalidade.

\r\n

Recursos multissensoriais são aqueles que transformam a embalagem atraente a todos os sentidos, ou pelo menos, a mais de um. Ainda que o apelo visual seja o mais recorrente, é possível também trabalhar o tato, o olfato e até a sonoridade. Trata-se de trabalhar a textura da embalagem, o cheiro que exala, o som agradável que produz, como o do plástico-bolha (a maioria das pessoas sente prazer em estourar suas bolinhas por causa do som resultante).

\r\n

Claro que fazer isso exige um planejamento e uma tecnologia mais apurados, envolvendo iniciativas mais ousadas e dinâmicas.

\r\n

Aplique ilustrações, letras e números

\r\n

Muitas vezes, investir em uma morfologia específica pode sair muito caro. Mas é possível aliar uma forma padrão (como embalagens quadradas ou retangulares) a desenhos temáticos, obtendo bons resultados.

\r\n

As Ilustrações podem ser mais complexas ou simples, focando em um personagem-símbolo ou alguma coisa que remeta à ideia do produto, como mar, árvore, animal, sol ou uma reunião de elementos diferentes.

\r\n

O uso das letras e números ilustrativos também é um ótimo recurso para criar apelo visual e passar ideias. Há uma variedade imensa de fontes e elas podem ser editadas de modo a produzir sensações diferentes: agressividade, delicadeza, tranquilidade, agitação, medo, alegria.

\r\n

Tanto ilustrações quanto letras/números podem ser impressos em 3D, ou seja, apelam para mais de um sentido.

\r\n

Relacione-se com o cliente em sua própria cultura

\r\n

A exportação de produtos está relacionada à negociação com clientes de outro país, outra cultura e, principalmente, outra língua. Por isso, vale a pena colocar na embalagem elementos familiares a essas pessoas. Escrever na língua deles já é um grande passo.

\r\n

É importante conhecer as normas de segurança do país de destino (bem como o que recomenda a legislação brasileira sobre embalagens para exportação).

\r\n

Tome cuidado quanto ao fato de, ao querer agradar, perder a identidade brasileira — o que não é recomendável, visto que a mercadoria deve carregar em si a marca da empresa e sua própria nacionalidade.

\r\n

Faça a rotulagem adequada

\r\n

Além de criar uma embalagem a caráter, criativa e atraente, é preciso que ela vá rotulada adequadamente, conforme os parâmetros estabelecidos. Existem alguns símbolos para identificar a natureza do produto ou da própria embalagem, como:

\r\n

    \r\n

  • \r\n

    Taça (fragilidade);

    \r\n

  • \r\n

  • \r\n

    Guarda-chuva (sensibilidade à umidade);

    \r\n

  • \r\n

  • \r\n

    Duas setas apontando para cima (não pode ser tombada);

    \r\n

  • \r\n

  • \r\n

    X sobre um guincho (não pode ser guinchada);

    \r\n

  • \r\n

  • \r\n

    Corrente (deve ser içada);

    \r\n

  • \r\n

  • \r\n

    Ímã atraindo um objeto (embalagem de aço);

    \r\n

  • \r\n

  • \r\n

    3 setas dobradas formando um triângulo (embalagem de papel celulósico/material reciclável).

    \r\n

  • \r\n

\r\n

Siga as regras logísticas

\r\n

Sua embalagem deve ser desenvolvida considerando as necessidades de estocagem e transporte. Assim, você deve seguir essas especificações. Para estocagem, existem critérios como:

\r\n

    \r\n

  • \r\n

    Tempo de estocagem;

    \r\n

  • \r\n

  • \r\n

    Condições atmosféricas do lugar (calor, umidade);

    \r\n

  • \r\n

  • \r\n

    Posicionamento das embalagens (influi na resistência).

    \r\n

  • \r\n

\r\n

Considere que, além da embalagem menor (embalagem de prateleira) existirá uma embalagem maior (embalagem de transporte), para facilitar o manuseio e deslocamento. Para o transporte da carga em caminhões, navios, aviões e outros meios as seguintes técnicas podem ser utilizadas:

\r\n

    \r\n

  • \r\n

    Amarração (cintamento): envolvimento da carga por cintas adequadas;

    \r\n

  • \r\n

  • \r\n

    Paletização: plataforma de madeira, fixada por cintas, que suporta a carga;

    \r\n

  • \r\n

  • \r\n

    Conteinerização: a carga é colocada dentro de um cofre especial, o contêiner.

    \r\n

  • \r\n

\r\n

O contêiner, sendo um acessório para o transporte de carga, não tem seu peso incluído no valor do frete — ao contrário, ele implica tarifas especiais na maioria das vezes. A conteinerização apresenta outros benefícios, como:

\r\n

    \r\n

  • \r\n

    Dispensa o armazenamento;

    \r\n

  • \r\n

  • \r\n

    Reduz custos com embalagens e seguros (riscos de avarias e furtos são bem menores);

    \r\n

  • \r\n

  • \r\n

    Otimiza a carga e descarga devido ao manejo mais rápido e eficiente.

    \r\n

  • \r\n

\r\n

Agora que você já sabe como criar uma embalagem para seus produtos de exportação, clique aqui e acesse um guia que vai te ajudar nos seus negócios!

\r\n

Guia de exportação PME

\r\n

 

Banner para o Guia da Negociação: Como fechar mais negócios e otimizar seu resultadoPowered by Rock Convert