Banner de Exportação para PME'sPowered by Rock Convert

Fazer a gestão do conhecimento no mundo corporativo é muito mais que aproveitar as competências e habilidades de cada profissional. Com um volume intenso de informações produzidas, mapear as habilidades é fundamental.

É comum encontrar no mercado profissionais com alto nível de conhecimento e que estão subaproveitados em suas funções, seja pela falta de incentivo ou de iniciativa para demonstrar à empresa toda a bagagem conquistada nas salas de aulas ou nos empregos anteriores.

Se você é gestor da sua empresa, vai gostar de saber, neste post, que pode utilizar a gestão do conhecimento a favor da organização ao proporcionar uma maior interação com o capital humano, valorizando e conhecendo perfis, além de abrir oportunidades e vantagem competitiva no mercado!

O que é a gestão do conhecimento?

Você conhece todos os funcionários e como eles chegaram até a sua empresa? Claro que esse é um trabalho da área de Recursos Humanos, que deve se encarregar de mapear as competências e alocar os profissionais de acordo com a necessidade do negócio e de cada área.

O que devemos entender é a importância de identificar se essa visão está correta e se há uma estratégia bem aplicada para fazer do conhecimento uma potente e diferenciada ferramenta no enfrentamento da concorrência. É mais comum do que se imagina encontrar profissionais vivendo em completo ostracismo intelectual.

Se um colaborador detém uma ideia que pode ser utilizada em benefício da empresa (e de todos que atuam nela), quanto antes for sabido, melhor para o desenvolvimento e a melhoria de um produto ou serviço. Mas não se esqueça de valorizá-lo por isso!

Por que esse modo de gestão é tão importante para as empresas?

Esse é um pilar simples, mas que requer do gestor a sensibilidade de pensar na organização como um todo. O movimento corporativo de nivelamento do conhecimento precisa envolver a todos os setores, pois pessoas em graus de conhecimentos diferentes contribuem em suas áreas dentro dos limites que as atribuições exigem.

Da mesma forma que um profissional de limpeza tem conhecimento sobre a utilização de produtos ou equipamentos específicos, o responsável pela tecnologia sabe como desenvolver um aplicativo inteligente para informar sobre o tempo de execução de tarefas internas, por exemplo.

São situações hipotéticas apenas para ilustrar que todos os funcionários podem e devem compor o grupo avaliado. Muitos, talvez, passem boa parte do tempo à espera de uma oportunidade para manifestarem seus conhecimentos.

Como funciona uma gestão do conhecimento eficiente?

Existe um ditado anônimo — ninguém sabe tanto que não possa aprender e nem tão pouco que não possa ensinar — que faz todo o sentido quando pensamos na gestão do conhecimento e na educação corporativa embutida nesse conceito. Para ser eficiente, é preciso que a gestão valorize o mínimo conhecimento.

Pequenas ideias têm grandes chances de se transformar em um resultado produtivo e rentável. Não se pode descartar nenhum conhecimento adquirido ao longo da trajetória de um profissional, e contextualizar esse aprendizado faz parte da inteligência de mercado para melhor atender ao cliente.

Quais são os tipos de conhecimentos e como aplicar na empresa?

Existem dois tipos de conhecimentos aplicáveis que ajudam a desenvolver o fundamentalismo da estratégia e aprimorar os sentidos para uma melhor gestão. Conheça!

Conhecimento explícito

O conhecimento adquirido nas escolas ou nos cursos de aperfeiçoamento e que têm um aprendizado sistemático, pautado em um cronograma rotineiro e predeterminado. A leitura de livros, apostilas e artigos são incentivadores de um conhecimento explícito e acadêmico.

Conhecimento tácito

Um conhecimento mais intuitivo e subjetivo, adquirido nas vivências e experiências ao longo da vida de um indivíduo. É intrínseco, pois cada um interpreta de uma maneira pessoal os acontecimentos experimentados, estabelecendo uma conexão íntima com um modelo mental de absorção.

Para as empresas, o ideal é estabelecer uma ponderação entre esses dois tipos de conhecimentos, afinal, ambos agregam valor ao negócio. A junção de um conhecimento adquirido em campo teórico e a aplicabilidade da prática pode favorecer uma entrega comportamental equilibrada.

Quais são as principais ferramentas da gestão do conhecimento?

Se você deseja fazer do capital humano um aliado para as conquistas no mercado, deve tratar a gestão do conhecimento com seriedade e desejo efetivo de conhecer o potencial de cada um, mesmo que aplicável em conjunto.

Será preciso valer-se de ferramentas especializadas para facilitar o processo de entendimento e da correta aplicação de políticas organizacionais que promovam o conhecimento corporativo em sua totalidade.

Educação corporativa

Os treinamentos são fundamentais pra desenvolver pessoas e complementar o conhecimento de cada colaborador. Se a sua empresa atua no mercado com atendimento direto ao cliente, todos os funcionários da linha de frente devem adotar um atendimento padronizado e no mesmo tom.

Entender o treinamento de colaboradores como um investimento — e não como despesa — aumenta o nível de satisfação funcional, facilitando a distribuição de tarefas e adequação de perfis, pois cada funcionário saberá que, em algum momento, terá o incentivo de participar de um treinamento adequado às suas qualificações.

Quanto aos talentos, evitar o turnover aumenta a capacidade de referência de uma empresa no mercado. Afinal, os bons profissionais, ao tomarem ciência da valorização que uma organização dá a seus colaboradores, se preparam para ser peça fundamental, longeva e contributiva para a expansão conjunta.

Gestão de informação

Um filtro das informações é essencial para que a comunicação saudável alcance o time de forma positiva e produtiva. Abra um canal formal de comunicação — informativos mensais, murais, e-mails corporativos, etc — mas unifique a fala, mantendo a transparência e a objetividade.

Inteligência corporativa

Integre as equipes e a capacidade intelectual delas. Assim, a empresa contará com um time coeso e abrangente. Você não conseguirá que todos os funcionários disponham da mesma capacidade cognitiva, logo, a inteligência corporativa tratará de equalizar as especificidades.

Gestão de talentos e competências

Um bom mapeamento de competências pode responder a questões gerenciais complexas, como qual funcionário designar para um projeto específico ou a quem promover para uma vaga.

Essa medida evita a tomada de decisão equivocada ou baseada na simpatia, priorizando a competência e o conhecimento para exercer determinadas atividades, sob o âmbito do conhecimento teórico e a habilidade de lidar com imprevistos ou gestão de relacionamento.

Desenvolvimento de pessoas

Muitos profissionais possuem diplomas conquistados depois de muito estudo de um conteúdo programático amplo, mas chegam às empresas e encontram dificuldades de colocar em prática esses conhecimentos.

Cabe à gestão acompanhar sistematicamente os resultados e, junto ao RH, promover o desenvolvimento das habilidades baseadas no conhecimento para uma melhor profissionalização.

Se você deseja crescer, precisa entender que seus colaboradores fazem parte do processo e são essenciais durante a jornada, pois são eles que, efetivamente, atuam nos bastidores — para que o grande espetáculo mercadológico aconteça.

Trata-se de uma engrenagem conjunta que, quando alicerçada pelo conhecimento e pela valorização, pode abalar as estruturas da concorrência e imprimir uma maior autoridade à marca da sua empresa, mantendo o ritmo produtivo e o nível de rentabilidade adequado.

E se você gostou deste post sobre a importância da gestão do conhecimento para o seu negócio, não pode deixar de ler sobre a importância de investir na educação corporativa em mais um conteúdo. Confira agora mesmo!  

[E-book] Profissionalização de empresas: o guia prático para se tornar competitivoPowered by Rock Convert
Banner para o Guia da Negociação: Como fechar mais negócios e otimizar seu resultadoPowered by Rock Convert