É comum que, hoje em dia, entremos em contato com expressões que antes não existiam no mundo do marketing. Isso acontece porque as mudanças nos hábitos do consumidor trouxeram novos desafios e necessidades, que vão sendo supridas à medida que novas ferramentas entram em cena. Você sabe, por exemplo, como funciona a logística de dados variáveis?

Implementar essas inovações na empresa certamente gera ótimos resultados, que podem ser mensurados a partir dos retornos obtidos, sejam eles em volume de vendas, sejam na repercussão da imagem da empresa junto ao público. Entretanto, é necessário conhecer essas novas tecnologias para que elas possam ser usadas a seu favor.

Para ajudar nisso, listamos algumas informações importantes sobre a logística de dados variáveis. Acompanhe!

O que é a logística de dados variáveis?

Antes de mais nada, é preciso considerar que lidamos com dados variáveis e não variáveis — também chamados de dados-mestre. Estes últimos são informações fixas, como marca, descrição e dimensões de produtos. Por serem invariáveis, são usados em descritivos, mas quando lidamos com logística, precisamos de informações complementares a essas informações-mestre.

É aí que entram em cena os dados variáveis. Produtos alimentares, por exemplo, demandam atenção da parte do supermercado quanto à data de validade — uma informação variável. O número de lote, diferente das informações de composição do rótulo e das dimensões da embalagem, também é um dado variável.

São essas informações variáveis que permitem que processos mais específicos de gestão de logística sejam implementados. As informações de lote também são importantes caso seja necessário fazer um recall ou direcionar o lote de um produto de um lugar para outro, por exemplo.

Há uma maneira de se fazer gestão chamada FIFO — em inglês, first in, first out. Trata-se de um protocolo, também chamado de algoritmo em fila ou escalonamento. Ela pode ser aplicada à gestão de produtos perecíveis, por exemplo.

Tais itens devem ser vendidos na ordem em que são recebidos. Dessa forma, eles permanecem por menos tempo em estoque e se estabelece um fluxo para que não passem das datas de validade. Sendo assim, podemos dizer que a logística variável se baseia em informações variáveis e que é importante para o negócio especialmente porque ajuda a evitar o desperdício.

Além desses citados, há outros dados variáveis, como a identificação de uma caixa. Independentemente de validade, esse dado permite garantir que o que é postado é o que o destinatário vai receber.

Há mais controle em relação à entrega. Vamos imaginar que uma transportadora tem 5 volumes para entregar a um cliente. Em um caminhão lotado, seria difícil encontrá-los em meio às mercadorias de outros clientes. Implantar uma identificação única nas caixas permite uma localização muito mais rápida e eficiente dos volumes corretos, evitando trocas ou extravios. Tal precisão permite a implantação de sistemas de controle e rastreabilidade.

Quais são as vantagens desse método?

Além de evitar o desperdício, ele confere mais precisão à gestão do estoque. Não basta saber a quantidade de cada item disponível: é preciso cuidar do fluxo de mercadorias para evitar que datas de validade sejam perdidas. Essas ferramentas (os dados variáveis) permitem que você implemente controles melhores — controle pela unidade, controle de entrada e saída ou rastreamento pelo número de série.

A identificação da caixa, por exemplo, pode ser colocada na etiqueta. Se, de 100 caixas, 10 foram retiradas, é necessário saber quais foram elas. Entretanto, a inserção dessa informação só faz sentido se for aliada à automatização na sua coleta.

Coletar informações de lote e data de validade manualmente, por exemplo, deixa o processo suscetível a falhas humanas, que reduziriam a sua eficiência — daí a importância de automatizar.

Como essa logística pode ser implementada?

Para colocar essa logística em prática, é importante adotar certas atitudes no dia a dia da gestão.

Qualidade na informação

São informações precisas sobre o produto, tanto dados variáveis quanto não variáveis. Além disso, é importante conhecer quais informações são relevantes para cada item.

Se você trabalha com televisores, por exemplo, a data de validade não faz sentido, pois não são produtos que estragam, mas tamanho e volume são informações importantes para dimensionar corretamente o transporte.

Identificação de dados relevantes

Serve para habilitar uma melhor gestão pela automação. Se você tiver um bom sistema de gestão, poderá identificar tudo isso de maneira correta e etiquetar adequadamente as caixas para identificação.

Menos é mais

Nem sempre é preciso incluir tantas informações variáveis. Muitas vezes você acaba gastando tempo e esforço com questões que não são relevantes. É preciso analisar caso a caso.

Existe algum treinamento específico sobre o tema?

Aprender a identificar quais são os dados relevantes para o negócio e saber como codificar essas informações de maneira padronizada para que parceiros comerciais façam uso delas é o primeiro passo para uma boa logística. O curso presencial da GS1 ensina quais são os conjuntos-chave de identificação para codificar dados relevantes sobre o produto, que serão usados pelos parceiros na cadeia de suprimentos.

Além disso, o curso ensina a criar uma etiqueta correta e padronizada. Quais são os padrões adequados para cada cenário? Isso também tem a ver com rastreabilidade.

Um produto que vemos no supermercado tem o código de barras para identificação. Quando lidamos com logística, existe outro conjunto de códigos de barras, tanto lineares — como o GS1-128 — quanto bidimensionais — um DataMatrix e um QR code —, que são adequados para cada cenário e aplicação. Você aprenderá também a identificar qual é o código indicado para cada situação.

A logística de dados variáveis ajuda a evitar erros humanos, e o curso fala bastante disso. Você vai entender quais são os dados variáveis — uma lista de todos os tipos, como origem e destino, peso bruto e peso líquido, conteúdo, quantidade de caixas e de itens, entre outros. Além disso, esses dados podem ser trocados eletronicamente, o que ajuda a integrar sistemas e garantir melhor rastreabilidade e mais velocidade na logística dos itens.

​A logística de dados variáveis pode causar impactos muito positivos no seu negócio, visto que influencia em toda a configuração do fluxo de mercadorias, desde a produção até o consumidor. Implantá-la é uma forma de acompanhar os avanços da nossa sociedade no que diz respeito ao processo produtivo e de distribuição.

Se você deseja aprender a implementá-la, entre em contato conosco e tenha acesso ao nosso curso!