Logística de alimentos: 4 dicas para otimizar os seus processos

O setor de alimentos cresce a cada dia e é fundamental que a logística de alimentos de sua empresa seja eficiente. Esse segmento apresenta grandes desafios para quem atua na área e o caminho a ser percorrido por empresários em relação ao transporte e armazenamento precisa ser observado.

Manter a qualidade dos alimentos é muito importante. Contornar as dificuldades que existem e garantir que eles cheguem na casa dos brasileiros exige algumas práticas para otimizar todo o processo logístico.

Pensando nisso, preparamos este post para que você conheça algumas dicas de como proceder nesse setor. Confira agora!

Principais cuidados desse processo logístico

Para quem é responsável pelo fornecimento de alimentos, seguir as normas legais é uma obrigação, uma vez que eles devem ser entregues com total qualidade. Os alimentos estragados e fora do prazo de valide podem ocasionar sérios problemas à saúde como intoxicações e infecções.

Por isso é importante tomar alguns cuidados para evitar a deterioração dos alimentos no decorrer dos processos de transporte e armazenagem. Confira agora alguns deles:

Acondicionamento

O modelo da embalagem escolhida é o primeiro fator a ser observado no momento em que os alimentos forem transportados, principalmente os perecíveis. Contudo, a expressão “embalagem” não se restringe apenas à caixa que guardará o alimento. Contêineres, contentores, paletes, tudo isso serve de acondicionamento na fase de armazenagem e transporte para o ponto de venda. As funções da embalagem se dividem em:

  • primária: é aquela em que o alimento é empacotado e remetido ao varejo para o consumidor final;
  • secundária: é a bandeja ou o filme que acondiciona a primária, a fim de que ela chegue em boas condições nos locais de venda;
  • terciária: os contentores entram nessa categoria. Eles são responsáveis por unitizar as embalagens secundárias, além de facilitar o manuseio da carga nos processos que envolvem armazenagem e transporte;
  • quaternária: conhecidas como paletes padrão PBR, eles têm a função de unitizar as embalagens terciárias para o transporte;
  • quinaria: por fim, esse tipo de embalagem é usado para o transporte envolvendo contêineres refrigerados ou isotérmicos.

Armazenagem

Os métodos de logística de alimentos que envolvem a armazenagem exigem bastante atenção. Isso pelo fato de que é nesse momento que eles são manuseados, o que amplia as possibilidades de ocorrer algum dano na embalagem. Por conta disso, devem ser totalmente adequadas as instalações físicas do armazém e os equipamentos:

  • equipamentos: tudo que se relaciona aos processos de carga e descarga devem ser adequados para transportar os alimentos. Além disso, é preciso que os profissionais tenham o treinamento adequado;
  • instalações prediais: para o correto armazenamento, é fundamental que a temperatura ambiente seja ideal para preservar os alimentos. Também é necessário que o local seja higienizado para evitar riscos de contaminação;
  • estocagem: o espaço do armazém precisa ser ventilado. Por isso, em questão de alimentos, não se pode apenas priorizar o máximo de aproveitamento do espaço do armazém.

Transporte

A fase do transporte para a logística de alimentos é a parte que pode ocorrer a maior vulnerabilidade por questões climáticas, manuseio, entre outros. Por isso que os gestores precisam criar estratégias para manter a preservação do alimento. Alguns fatores são importantes para isso como:

  • embarque e desembarque: é essencial que os alimentos estejam paletizados a fim de que os processos de recebimento e expedição sejam efetivos. Isso por causa que as embalagens e os paletes fazem com que não haja contaminação ou choque externo;
  • transporte: contêineres e embalagens têm a função de diminuir qualquer variação de temperatura e ventilação adequada dos alimentos. Além do mais, quem for responsável pelo transporte, precisa evitar qualquer excesso de umidade e manter um padrão de acordo com cada tipo de alimento.

4 dicas de logística para o setor de alimentos

Confira agora algumas dicas que envolvem a melhoria dos processos de logística de alimentos:

1. Considere as necessidades e diferenças de cada mercadoria

O transporte das mercadorias deve ser feito de forma adequada e eficaz. Assim, é fundamental considerar as especificidades de cada tipo de produto alimentício. Por exemplo, matérias-primas e mercadorias não refrigerados exigem transporte e armazenagem diferentes de alimentos prontos para servir. Além do mais, cada espécie de alimento demanda uma embalagem própria, capaz de assegurar condições específicas.

2. Monitore sua equipe e seus fornecedores

Mesmo que ocorra a devida capacitação e conscientização de todos que trabalham em sua empresa, e seja empregado a máxima cautela nas etapas do processo logístico, é necessário efetivar o controle e o monitoramento de todas as fases que envolvem a logística de alimentos.

É determinante que você monitore seus fornecedores e sua equipe para que se constate se eles estão realizando a manipulação correta dos alimentos. Dessa maneira, você consegue propiciar que suas embalagens fiquem totalmente preservadas.

3. Capacite seu time de logística

Visando garantir o sucesso, é fundamental que informações e treinamentos para os membros da equipe sejam disponibilizados. Isso elimina quaisquer dúvidas em relação à importância de adequação logística para produtos alimentícios: desde a ocasião da recepção da matéria-prima para sua produção até a distribuição para os seus clientes.

Ressalta-se que a segurança é imprescindível para os seus colaboradores, sendo uma questão que o seu empreendimento precisa sempre se comprometer. Além disso, é necessário atentar para o total cumprimento das normas e regulamentações que regem toda a logística de alimentos.

4. invista em um código de barras

É essencial investir em um código de barras, uma vez que ele permite que seus alimentos estejam em conformidade com os padrões estabelecidos por lei. O código EAN-13, por exemplo, é universal e possui 13 dígitos. Ele também assegura a adequação da mercadoria no Brasil e fora dele.

Outra vantagem dessa tecnologia é conseguir diferenciar os lotes dos produtos com agilidade e eficácia. Para mercadorias de envergadura menor, o melhor é o código DataBar. Em relação à organização que envolve a logística interna, o TF-14 é uma ótima escolha, visto que sua visibilidade é nítida por fora das caixas de papelão.

Enfim, o território brasileiro possui uma grande extensão territorial e as diferenças climáticas interferem bastante nas questões de preservação de alimentos. Por isso é preciso tomar algumas medidas para garantir que eles cheguem em perfeitas condições na casa dos consumidores.

E aí, gostou do nosso texto sobre a logística de alimentos? Que tal conhecer agora nosso guia de exportação para pequenas e médias empresas?

Postagens relacionadas
Produção em massa: 6 dicas para manter o controle sobre processos
Entenda como proceder com o fim do emissor da NF-e gratuito
gestão de estoque
Como fazer o controle de entradas e saídas na gestão de estoque?
7 passos para gerar valor agregado na produção manufatureira
7 passos para gerar valor agregado na produção manufatureira
Drop shipping: o que é e como usar?
Drop shipping: o que é e como usar?