10 dúvidas sobre embalagens para exportação para não errar!

As embalagens para exportação representam a comunicação direta com o público em cada ponto de venda. Por meio delas, as pessoas compreendem a função ou desempenho de um produto e decidem se o levarão para casa ou não.

O material que envolve a mercadoria — quando é bem elaborado e apresenta um design bonito e atrativo — ajuda a conquistar os disputados espaços no mercado externo e, paralelamente, aumentar as vendas. Conservar e proteger a integridade do produto até que ele chegue ao destino final são outros benefícios das embalagens para exportação, principalmente por se tratar de um trajeto mais longo.

O sucesso de um projeto logístico depende essencialmente das embalagens de transporte, para que a carga seja enviada para o seu destino em perfeitas condições. Sem um acondicionamento adequado às exigências das leis da exportação, sua empresa pode enfrentar problemas com a alfândega.

Neste post, vamos tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto. Acompanhe!

1. Como começar um projeto de embalagem?

Para começar, é importante estudar o briefing do projeto, documento que possui todas as informações necessárias sobre os objetivos da empresa, características do produto e estudo do público-alvo. Antes mesmo de definir a embalagem, faça uma análise do processo logístico, para assegurar a qualidade do material adequado.

2. O que é preciso saber sobre o importador?

Geralmente, as exigências do importador são listadas em contrato; basta ter conhecimento delas e cumprir o que for combinado. Caso não esteja definido, pesquise sobre os padrões internacionais do país em questão antes de colocar o seu projeto em prática.

3. O nome do produto deve ser alterado?

Por uma questão de sonoridade e compreensão da língua no país de destino, é preciso pensar bem no nome do produto para não despertar estranheza no consumidor. Utilize um rótulo personalizado com o idioma em questão.

4. O nome da marca também exige cuidado?

É interessante pesquisar se existe algum significado pejorativo que possa comprometer o nome da marca no mercado externo ou se a palavra oferece facilidade na assimilação.

5. Como deve ser o design de uma embalagem?

A aparência deve ser atraente e, de preferência, inconfundível, única. É importante tomar cuidado com as cores, pois cada país possui uma cultura que precisa ser analisada com antecedência. Na China, por exemplo, a cor branca simboliza o luto.

6. Quais as funcionalidades da embalagem?

A embalagem precisa oferecer segurança, conveniência, proteção e sustentabilidade desde o armazenamento, transporte e compra, até o descarte, além de praticidade para abrir, fechar e manusear.

7. Por que é importante otimizar o espaço da embalagem?

Otimizar o espaço disponível na embalagem significa evitar desperdícios de espaços vazios. A embalagem precisa ser compacta, mas sem prejudicar a estabilidade ou integridade do produto.

8. Que informações devem constar na embalagem?

Marca do produto, da empresa, atributos de diferenciação, benefícios, características como peso, conteúdo, validade (quando houver), selo de exportação, entre outros. É fundamental estabelecer um critério na hierarquia dessas informações para causar um impacto positivo no consumidor.

9. Quais são os tipos de embalagens?

Cada produto possui uma necessidade própria e, por isso, os tipos de embalagens são bem variados. Elas podem ser primárias (em contato direto com o produto); secundárias (recebe uma ou mais embalagens primárias) e terciárias (reúnem diversas embalagens primárias ou secundárias para o transporte de carga).

Embalagem de transporte

  • Caixa de transporte: caixa de papelão, madeira ou plástico rígido;

  • Caixas K: usadas na importação de latas de querosene de 20 litros;

  • Cartucho: caixa com estrutura de papel cartão;

  • Contêiner: caixa de metal ou madeira;

  • Embalagem cartonada: usadas para vedar luz, gases, água ou outros.

Embalagem de prateleira

  • Rótulo: informação impressa na embalagem;

  • Shape: formato da embalagem;

  • Sleeve: rótulo que contorna a embalagem;

  • Splash: desenho gráfico com informações importantes na embalagem;

  • Blister: embalagem em forma de suporte, cartão ou filme plástico.

Embalagens mistas

Combinam dois ou mais materiais com produtos reciclados, como plástico e metal; plástico e vidro; madeira e papel. O objetivo de juntar as propriedades é alcançar um material mais resistente e econômico.

Embalagens multicamadas

Combinam diferentes materiais que se sobrepõem, como papel e papelão, alumínio e papel.

Embalagens laminadas

Utilizam filme plástico metalizado, como os que são utilizados para embalar salgadinhos.

Embalagens plásticas flexíveis

São adequadas de acordo com a forma física do produto. Estão listados na categoria de sacos, sacarias, envoltórios fechados por torção, grampo, tripa, entre outros.

Embalagens reutilizáveis

Embalagem reaproveitada na sua forma original para o mesmo objetivo. Desempenha um número limitado de viagens dentro do ciclo de vida.

Latas de alumínio

São muito utilizadas para embalar bebidas como cervejas, sucos, refrigerantes. O alumínio é um metal não ferroso que se popularizou em 1963 para embalar um refrigerante conhecido como Slenderella.

Latas de aço

Apropriadas para empacotar alimentos, tintas e produtos químicos, as latas de aço oferecem resistência, revestimento e acabamento por meio de uma película elástica protetora.

10. É importante integrar a embalagem ao sistema logístico?

Sim. Por meio da análise do sistema logístico, o projeto da embalagem deve ser integrado para reduzir os custos e potencializar a produtividade operacional. É necessário, por exemplo, estudar os métodos de movimentação, as dimensões das instalações, as consequências que os danos podem causar, entre outros fatores.

É extremamente importante considerar o tipo de jornada que a embalagem fará para atender às normas regionais e internacionais, além da legislação de cada local. Também devem ser observadas as condições climáticas do país de destino, bem como outros problemas que possam ameaçar a integridade da carga.

As embalagens para exportação são excelentes contadoras de histórias. Detalhes como forma, design, cores, informações no rótulo “conversam” e atraem o desejo do consumidor. Por esse motivo, é fundamental conhecer o seu novo público, compreender os hábitos e costumes do país para se adequar a ele de maneira que a marca não perca a sua essência.

Gostou do post? Para saber mais, leia também: Os 7 principais cuidados que você precisa ter na hora de exportar produtos. Você vai saber quais são os documentos necessários para exportar, informações sobre os procedimentos de fiscalização e cuidados necessários com embalagem e rastreamento.

Guia de exportação PME

 

Postagens relacionadas
Saiba trabalhar a exportação para fugir da crise
Você sabe o que é rastreabilidade?
pirataria
5 riscos que a pirataria representa para os empreendedores
código de barras
Entenda a obrigatoriedade e o uso do código de barras na NF-e
Gestão de estoques e compras: conheça 5 estratégias infalíveis

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web