Banner de Exportação para PME'sPowered by Rock Convert

O que o Microempreendedor Individual precisa para se tornar um empreendedor de sucesso? O MEI é uma nova categoria empresarial, que foi criada para efetivar a ocupação de milhares de profissionais brasileiros: são vendedores ou prestadores de serviços que atendem de porta em porta, músicos profissionais, artesãos e diversos outros tipos de trabalhadores que, finalmente, puderam sair da informalidade.

E quem disse que eles não querem fazer crescer o seu negócio? Não importa se você empreende há muitos anos e só agora se formalizou, se decidiu aproveitar essa nova categoria para tirar aquela antiga ideia de negócios da cabeça ou se ainda está só considerando tirar um CNPJ. Este post é para você!

Acompanhe e saiba um pouco mais sobre as principais regras para ser um empreendedor de destaque no setor em que atua!

Entenda como o MEI funciona

Para aderir a essa categoria, é necessário que você tenha um faturamento igual ou menor que R$ 60.000 por ano e que nunca tenha tido participação como sócio em nenhuma outra empresa. Vale lembrar que faturamento não é o mesmo que lucro: esses R$ 60.000 anuais se referem a todo valor que entra na conta da sua empresa, sem descontar as despesas.

Os deveres do Microempreendedor Individual são muito poucos, se comparados aos benefícios da categoria: o MEI tem um CNPJ, pode contratar um funcionário, pagando a ele um salário-mínimo ou o piso salarial da sua categoria e pode fazer empréstimos em condições especiais, com juros muito baixos.

Seus tributos também são muito simplificados: para a maior parte das profissões, resume-se a uma taxa de até R$ 50 mensais, que cobre todos os seus impostos e ainda garante auxílio-doença, auxílio-maternidade e aposentadoria.

Além dessa taxa, há o alvará de funcionamento, que é expedido pela prefeitura da cidade em que o empreendedor vai atuar. Os empreendedores que atuam de porta em porta estão isentos dessa taxa. Os outros devem pagá-la uma única vez.

Planeje a abertura da empresa

Com tantas facilidades e ainda outras — como o fato de que é possível se formalizar de casa mesmo, gastando uns poucos minutos no Portal do Empreendedor — é tentador abrir uma empresa sem um bom planejamento.

Não cometa esse erro! Para se tornar um empreendedor de sucesso, o primeiro passo é definir e colocar no papel algumas coisas: se você vai iniciar as atividades agora, precisa de um investimento inicial para colocar a empresa funcionando, ter uma sede, equipamentos básicos e várias outras coisas.

Faça um planejamento dos seus primeiros meses. Eles são críticos para o sucesso do seu empreendimento. Organize os gastos iniciais, tenha uma projeção de quanto tempo você vai demorar para começar a ter lucro e, a partir desse ponto, quanto tempo será necessário para recuperar esse investimento inicial (esse processo se chama payback).

Invista no marketing

Se você já empreende há algum tempo, já passou pela etapa de que falamos no item anterior. Mas pode ser que ainda não tenha gastado um tempo para pensar na etapa de que vamos falar agora: o planejamento de marketing.

Ao contrário do que se pensa, o marketing não serve apenas para “fazer propaganda”. Ele tem uma função muito mais profunda que isso. É usando suas ferramentas que você vai entender o que vende, para quem vende, quanto essa pessoa pode pagar por isso, quando e como.

Por exemplo: como a sua capacidade de investir em marketing é reduzida, uma excelente alternativa para o microempreendedor é fazer a sua divulgação pela internet. Logo, você vai precisar definir um público-alvo ou, melhor e mais detalhado ainda: uma buyer persona.

Suas páginas, blog, site ou qualquer outra iniciativa virtual que você adotar vão ter que gerar conteúdo relevante para esse público, incentivando-o a participar das suas postagens, interagir com o seu conteúdo e criar uma relação próxima com a sua marca. É esse tipo de valor que o marketing cria para a sua empresa, muito mais do que apenas procurar formas de gerar mais vendas.

Trabalhe a motivação da equipe

Não é exagero dizer que a inspiração é a matéria-prima de qualquer empreendedor. Afinal, sua empresa vai demandar doses diárias muito grandes de criatividade, ainda mais pelo fato de sua capacidade de investimento ser baixa.

É bem provável que você tenha escolhido criar uma equipe. Não importa se ela é representada por você e o seu funcionário — contratado com as facilidades do MEI — ou se há um time maior de microempreendedores trabalhando conjuntamente, como sócios. O fato é que vocês vão ter que se manter motivados.

Afinal, vocês devem se entender e produzir uma atmosfera dinâmica e inspiradora, já que o ambiente de trabalho de uma empresa moderna está longe de se parecer com uma daquelas salas impessoais e compartimentadas de antigamente.

O que inspira você e as pessoas com quem trabalha? Aperfeiçoamento profissional, vídeos motivadores ao melhor estilo TED ou um happy hour frequente?

Descubra maneiras de manter cada colaborador, parceiro ou sócio pulsando junto. Fazendo isso, as ideias e a força de vontade para realizá-las vão se tornar sentimentos cotidianos na sua empresa.

Mantenha uma documentação legalizada

A documentação do Microempreendedor Individual é bem resumida: o DAS (Documento de Arrecadação Simplificada) é um recibo que deve ser impresso e pago mensalmente. Ele é que discrimina a taxa de que falamos acima.

Além desse boleto, tudo que você vai precisar manter à mão é o próprio Certificado de Microempreendedor Individual — que serve como comprovação do seu CNPJ — e o Relatório de Receitas Brutas, que não precisa ser entregue em lugar nenhum, mas é uma ótima forma de você controlar o seu faturamento. Nele, devem constar os valores somados de todas as notas fiscais que você emitiu ao longo do mês.

Não descuide desses documentos e, de preferência, crie outros tipos internos para registrar as rotinas da sua empresa. Não importa se eles são físicos ou virtuais. O essencial é registrar cada etapa de cada procedimento, criando um material precioso que vai permitir analisar todos os processos e etapas do seu empreendimento e melhorá-los sempre!

Tenha uma gestão financeira eficiente

O MEI tem direito a um contador para acompanhar suas finanças gratuitamente durante um ano. Depois desse período, pode ser que você mesmo queira fazer a contabilidade do seu CNPJ, já que ela é mais simples.

A nossa recomendação é que você só opte por essa segunda opção se tiver formação em alguma área que tenha te preparado para tal — caso não seja contabilidade, ao menos administração ou matemática financeira. Caso contrário, não vale a pena arriscar o planejamento e controle das receitas, despesas, lucro e orçamentos do seu empreendimento.

Um negócio de sucesso depende de muitas coisas: um pouco de sorte em alguns casos, senso de oportunidade e outras qualidades pontuais. Mas, durante 90% do tempo, o que vai fazer a diferença mesmo é organização, persistência e trabalho duro!

E como o seu objetivo é ser um empreendedor de sucesso, comece agora mesmo a preparar a sua persistência, conhecendo os 9 maiores desafios do pequeno empreendedor. Se já não foi surpreendido por um deles, pode acontecer com você em breve!

 
Banner para o Guia da Negociação: Como fechar mais negócios e otimizar seu resultadoPowered by Rock Convert