A inteligência artificial (IA) chegou para revolucionar o mundo da tecnologia. Trata-se de programas e dispositivos desenvolvidos para simular habilidades próprias do ser humano, como o raciocínio e a percepção, e utilizá-los para auxiliar na tomada de decisões.

Isso trouxe, sem dúvidas, grandes mudanças dentro das empresas e nas relações do homem com a tecnologia.

O tema começou a surgir em 1940 e ganhou destaque durante a Segunda Guerra Mundial, devido às necessidades da indústria bélica. Com o avanço dos estudos, entrou também a vertente biológica, a partir da qual acreditava-se que seria possível construir redes que imitassem os neurônios humanos.

Hoje, o uso da inteligência artificial nas empresas vem sendo ampliado e os estudos para continuar a desenvolvê-la ganhando cada vez mais investimentos. Para você entender melhor como esse conceito funciona na prática, listamos abaixo 5 aplicações da inteligência artificial nas indústrias. Confira!

1. Supply chain

Supply chain (ou gerenciamento da cadeia de suprimentos) envolve todo o processo de logística de produtos e materiais.

É claro que isso inclui previsões de demandas, que se tornam mais precisas a partir do uso da inteligência artificial. Assim, fica mais fácil tomar decisões acertadas nesse sentido, de modo a evitar desperdícios e custos desnecessários.

Essas inovações podem ser conseguidas a partir do machine learning (aprendizado de máquina). Dessa forma, pode-se chegar a automatização da manutenção preditiva, ou seja, da identificação da necessidade de substituir peças sem a intervenção humana.

Entretanto, a relação dessa área com a inteligência artificial ainda tem um longo caminho pela frente. As expectativas para o futuro são de que os benefícios dessa tecnologia também cheguem diretamente ao público, a partir, por exemplo, da facilidade em conseguir informações sobre os produtos.

2. Gestão de colaboradores

O departamento de recursos humanos pode ser amplamente beneficiado pela inteligência artificial.

A utilização do Big Data (grandes bancos de dados) permite maior informatização da área. Além disso, já que as máquinas se assemelham aos neurônios humanos, também se torna possível identificar padrões de comportamento, a partir de análises. Isso ajudaria na hora de traçar o perfil dos candidatos, por exemplo.

As rotinas comuns de RH também passaram a ser otimizadas, já que a automatização de processos permitiu a redução de trabalhos realizados manualmente, ou mesmo terceirizados. Isso significa que há maior vazão para o trabalho intelectual e o aprimoramento de talentos e lideranças, além da redução de custos.

3. Análise de dados

Analisar dados de processos para detecção de padrões nunca foi tão fácil quanto atualmente, contando com a ajuda da inteligência artificial. Isso pode ser sentido até mesmo no uso de computadores comuns, que contam com uma estrutura inteligente para armazenamento e organização de dados.

Um belo exemplo de reconhecimento de padrões é a caixa de spam do seu e-mail: a partir de uma análise comportamental do remetente, é possível identificar quando se trata de spam.

Dentro da empresa, o reconhecimento de padrões de funcionamento das máquinas significa desenvolver tecnologias para otimizá-las. Isso permitiria a realização de ajustes que potencializassem seu desempenho.

Para identificar tais padrões, algoritmos são desenvolvidos e testados. Uma vez comprovada a sua eficiência para captar os dados desejados, eles já podem ser utilizados.

Essa captação se dá por meio de sensores, que descartam as informações que podem ser consideradas desnecessárias. A classificação é feita de maneira automática. Como exemplos simples em nosso dia a dia, podemos citar os leitores de códigos de barras e o reconhecimento de faces em alguns programas de imagem e câmeras. Nas indústrias, os processos de produção podem ser largamente beneficiados.

4. Manutenção preditiva

A PA (predictive analytics – ou análise preditiva, em português) pode ser considerada uma modelagem estatística, composta por dados coletados. A partir de tais informações, seria possível antecipar padrões e tendências. Essa antecipação só se torna possível graças aos mecanismos de inteligência artificial implantados na empresa.

Essa tecnologia também pode ajudar a organização no que diz respeito às manutenções periódicas. A análise de dados de qualidade e o estabelecimento de padrões, que citamos acima, também são processos úteis para identificar futuras necessidades de substituição de peças, por exemplo. Basear-se na vida útil e nas circunstâncias de uso seriam bons exemplos desses padrões.

Sendo assim, uma empresa que emprega a inteligência artificial no que diz respeito a garantir o bom funcionamento dos equipamentos otimiza o tempo, os custos e a produtividade dos processos internos de modo geral.

5. Qualificação da mão de obra

Muitas pessoas ainda enxergam a inteligência artificial como uma ameaça à mão de obra humana. Elas acreditam que as utilizações de robôs e processos em automação são, em parte, responsáveis pela redução dos postos de trabalho.

Entretanto, não é assim que funciona: os mecanismos de inteligência artificial podem, na verdade, complementar e otimizar a participação humana no processo produtivo. As máquinas estão aí para auxiliar e não para substituir a ação humana.

Embora pesquisas que buscam mensurar o aumento ou diminuição de vagas após a difusão do acesso à inteligência artificial ainda apresentem controvérsias, devemos considerar o crescimento de empregos específicos relacionados a ela.

A implantação dessas tecnologias adaptadas a cada ramo e setor, a aplicação nos processos cotidianos e a operação e gerenciamento dessas máquinas inteligentes, de fato, demandam profissionais qualificados.

Com o passar do tempo, esse fator também pode gerar uma transformação no que diz respeito à mão de obra, já que será cada vez mais necessário preparar-se para atuar em um mercado tecnologicamente transformado. É por isso que a inteligência artificial não deve ser vista como ameaça, mas, sim, como aliada.

Como vimos, o uso da inteligência artificial vem tornando-se cada dia mais amplo. Atualmente, a maior parte dos setores da empresa já podem contar com seus benefícios e as expectativas para o futuro são de uma aplicação crescente e otimizada. É claro que isso tudo reflete diretamente no processo de tomada de decisões.

Se este post ajudou você a tirar suas dúvidas sobre o uso efetivo da inteligência artificial, não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais e fazer com que outras pessoas também tenham conhecimento sobre este tema!