Comércio exterior: conheça os primeiros passos para internacionalização

Internacionalizar uma marca é o sonho de muitos empreendedores. Além da satisfação de ver suas criações ganhando o mundo, o comércio exterior é uma excelente alternativa para driblar crises econômicas internas e uma ótima estratégia de crescimento para as empresas.

Porém, ao mesmo tempo que é uma opção que pode potencializar negócios, garantir a expansão da empresa e gerar muito lucro, a internacionalização precisa ser conduzida com bastante cuidado.

E você, já pensou na possibilidade de levar seu produto a outros países? Desistiu por não saber como conduzir a internacionalização da sua marca? Quer entender como planejar esse passo garantindo a segurança de sua empresa?

Então, você chegou ao post certo! Vamos mostrar quais são os primeiros passos para levar uma mercadoria de produção local para o exterior e mostrar como planejar cuidadosamente as ações que fazem parte desse processo. Continue a leitura e descubra como conquistar o mercado internacional!

Pesquise todos os custos que terá para a exportação

Esse passo é fundamental para que você consiga estimar o preço praticável na hora de vender o produto e escolher os mercados onde pode ser mais competitivo. Essas informações são essenciais ao avaliar as oportunidades de negociar com outros países.

Uma boa alternativa é iniciar com os países do Mercosul. Os acordos realizados entre o bloco garantem uma redução significativa de barreiras tarifárias para a grande maioria dos casos. Portanto, são locais onde os produtos e serviços brasileiros costumam ser bem-aceitos.

Essa é a principal razão pelas quais os países da América Latina correspondem a quase metade das exportações realizadas por micro e pequenas empresas brasileiras.

Você não deve definir seus preços logo a princípio, pois é necessário se ajustar ao mercado local. Porém, ter uma noção clara das taxas que serão pagas e custos com logística e distribuição ajudam a criar uma estimativa que pode determinar a viabilidade do negócio.

Compare o preço praticado por seus possíveis concorrentes

Como toda iniciativa bem-sucedida, a expansão internacional também precisa ter início com uma boa pesquisa referente ao mercado que você quer explorar. Além de buscar evidências de que o seu produto será bem-aceito no local, é importante levar em consideração um fator essencial: o preço dos seus concorrentes.

Se o os produtores locais oferecem produtos similares ao seu em design e qualidade sem arcar com os custos e taxas que sua empresa precisará pagar, haverá uma concorrência praticamente invencível.

Portanto, o estudo de mercado ajuda a avaliar se a sua empresa conseguirá praticar no novo mercado preços equivalentes aos produtos similares já oferecidos sem comprometer a sua lucratividade.

Prepare o produto para lidar com questões burocráticas

Ao exportar, um dos primeiros cuidados deve ser a adequação do produto e embalagens às normas dos locais. Seguir as regras de exportação é essencial para eliminar fatores que podem interferir na aceitação de mercadorias tanto pelo consumidor quanto pelos órgãos governamentais e comerciantes.

Por isso, inicie o processo adotando o código de barras. Essa ferramenta de identificação é aceita em todo o mundo e é fundamental para certificar a origem de produtos.

Com isso, a empresa ganha credibilidade como exportadora. Além de sua adequação a uma norma internacional, a utilização do código de barras previne falsificações e outros delitos, o que facilita a aceitação do produto no comércio local.

Mais um aspecto interessante é a conformidade em relação às medidas. Em outros países, é comum utilizar outras unidades em relação ao peso de alimentos ou para o tamanho de roupas e calçados.

Compreenda esses hábitos, adeque suas embalagens aos padrões que eles utilizam e favoreça a confiança do consumidor em relação à sua mercadoria. Essa atitude ainda pode potencializar o fechamento de negócios com parceiros.

Vamos pensar em um exemplo claro: como um e-commerce de calçados bem estabelecido em outro país firmaria parceria com uma empresa brasileira se a cliente deles não consegue identificar com segurança a numeração apropriada ao seu tamanho?

Não é preciso ter tanta experiência em comércio para entender que, com uma numeração incompatível, o consumidor se sente inseguro ao comprar. Existe ainda uma grande possibilidade de o produto não servir no cliente, o que gera reclamações e custos adicionais com trocas e devoluções.

Busque parceiros para auxiliar na divulgação

Encontre negócios afins — já estabelecidos no mercado local — que não sejam seus concorrentes para fazer parcerias. Podem ser estabelecimentos comerciais que também vão lucrar com seu sucesso e, por isso, têm interesse em promovê-lo.

Já citamos um e-commerce no item anterior, mas essa parceria pode acontecer também com magazines, lojas de departamentos, estabelecimentos especializados na venda de artigos do setor, supermercados, entre outras opções.

O importante é entender que essa parceria pode viabilizar o comércio dos seus itens e promover o fortalecimento de sua marca. Essa iniciativa também é reconhecida por exigir um investimento menor para conquistar o consumidor.

Dessa forma, vender por meio de outros estabelecimentos pode ser mais lucrativo num primeiro momento e exigir um investimento menor do que abrir uma loja própria da marca.

Seja claro quanto ao posicionamento da marca no mercado

Para fazer isso é necessário ter estudado sua possível clientela com atenção, descobrir seu gosto, preferências e poder aquisitivo. A partir daí, você pode posicionar sua marca e definir o nicho que pode e deseja explorar.

Portanto, se no novo mercado seu produto é um item de luxo, que oferece uma qualidade até então inigualável a um nicho reduzido que não se importa em pagar mais para ter um produto diferenciado, as ações de comercialização e marketing devem se adequar a essa imagem.

Se, por outro lado, seu produto tem todas as características — qualidade, preço, design — necessárias para conquistar o consumidor médio, suas iniciativas também devem se adequar aos hábitos de compra desse público. Ele precisa ser considerado na hora de estabelecer parcerias e estratégias de venda.

Erros de estratégia podem tornar seus apelos ao consumo ineficientes simplesmente porque não utilizaram os canais certos e, por isso, não atingiram seu público-alvo.

Recorra a especialistas

Para exportar, as empresas precisam se adequar a normas que variam de um mercado para outro, considerar os custos decorrentes dessas diferenças e viabilizar toda a logística e distribuição de forma eficiente.

Nesse ramo, não há espaço para amadorismo. Por isso, é necessário cuidar dos relatórios de pedidos, conferir a produção, cuidar dos despachos e realizar outras atividades sempre de forma muito profissional.

Recorrer à consultoria de especialistas pode ajudá-lo a não correr riscos desnecessários ou perder oportunidades por falta de conhecimento do setor. Também existem programas e treinamentos oferecidos pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior que visam preparar o empreendedor para explorar o mercado internacional.

Entendeu quais são os primeiros passos para internacionalizar a marca e usar o comércio exterior para alavancar o crescimento de sua empresa? Gostaria de ter outras informações para potencializar o seu sucesso? Então não perca tempo! Assine agora mesmo a nossa newsletter e receba dicas e sugestões em primeira mão!

 
Postagens relacionadas
Entenda como e por que o pós-venda vai transformar o seu negócio!
Treinamento comercial: 5 dicas de como fazer com sucesso!
Treinamento comercial: 5 dicas de como fazer com sucesso!
Conheça 5 vantagens de ter um centro de distribuição próprio
Conheça 5 vantagens de ter um centro de distribuição próprio
5 mudanças organizacionais que podem colocar seu negócio nos trilhos!
7 maneiras de melhorar seu relacionamento com cliente

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web