Atenção! O que você precisa saber antes de usar códigos de barras?

 

Os códigos de barras fazem parte da realidade de pessoas e empresas, que utilizam essa ferramenta para conseguir melhores resultados no negócio. Supermercados e farmácias, por exemplo, são grandes exemplos de estabelecimentos pautados fortemente no uso adequado de códigos de barras. Mesmo internamente, essa solução pode ajudar o seu negócio a crescer e até mesmo a exportar.

Para fazer uso dela, no entanto, você precisará ter muita atenção e conhecer bem sobre os códigos antes de utilizá-los. No post a seguir, você encontrará as informações mais relevantes sobre o assunto para começar a empregar essa ideia. Saiba mais!

As aplicações e o uso de um código de barras

Antes de usar o código de barras é necessário que você comece entendendo um pouco mais sobre sua função. Basicamente, eles servem para fornecer informações sobre um determinado produto que está dentro da cadeia de suprimentos de um negócio ou que está saindo no ponto de vendas.

Internamente, o código de barras pode ser utilizado para rastreabilidade e visibilidade logística, em que os itens são agrupados em lotes e identificados por um código de barras mais genérico. No ponto de vendas, cada produto tem seu próprio código e, após passar em um leitor de código de barras, tem a venda registrada. Não menos importante, os códigos de barra podem servir para que o cliente tenha, antes ou depois da compra, informações sobre o produto adquirido.

Conhecer isso é importante porque você deve saber, por exemplo, que o código de barras deve carregar as informações do produto e que é único para cada mercadoria — ou para cada lote. Uma vez emitido, ele não pode ser modificado ao longo do caminho que o produto segue logisticamente.

Os diferentes tipos de códigos de barras

Você também deve saber que cada produto e/ou momento logístico possui um código de barras específico. Não adianta você achar que vai adquirir um único tipo de código que vai servir para todos os itens, porque não é bem assim.

No ponto de vendas, por exemplo, um dos mais utilizados é o EAN, mas se você vai exportar produtos para os Estados Unidos ou para o Canadá, você vai precisar se preocupar em utilizar o UPC. Da mesma forma, o código para frutas e objetos menores também é adaptado — nesse caso, trata-se do GS1 DataBar —, enquanto o código para livros é uma opção diferente — o ISBN.

Dentro da logística, por sua vez, a opção escolhida é o ITF-14, que é impresso diretamente nas embalagens de lotes de produtos. Para o cliente, códigos no estilo QR são os mais indicados.

Dependendo do que você pretende oferecer, de onde você pretende vender e de quem são os seus clientes, portanto, você vai precisar emitir mais de um código de barras de modo a adaptá-los para cada produto ou etapa.

Os equipamentos necessários para usar códigos de barras

Uma vez afiliado a uma entidade certificadora desses códigos, como é o caso da GS1 Brasil, você terá de se preocupar com a emissão dos códigos e também com a sua impressão. A geração normalmente é mais facilitada, mas cada código precisará estar associado a um conjunto de informações. Por isso, é necessário que haja um software de gestão de códigos de barras de modo a associar as informações dos produtos ao código — ou então ele não é útil para ao que se propõe.

Quanto ao hardware, é necessário contar com leitores de código de barras. Por meio da emissão e atuação de lasers, esses leitores são responsáveis por adquirir a informação contida nos códigos e enviá-las para o computador. Há então a decodificação dos números, transformando-os nas informações inseridas nesse código.

Outro hardware necessário diz respeito à impressora especial para esse tipo de código, que geralmente é exigida. Se não for o caso, é preciso mandar para uma gráfica ou utilizar o Cadastro Nacional de Produtos (CNP) para evitar equívocos. Dessa forma, não basta apenas adquirir o código de barras já que ele, por si só, não contém as informações que justificam o seu uso. Com isso, também é preciso investir em software e hardware, o que acontece à parte.

A aquisição do código de barras

Para que você possa gerar códigos de barras inequívocos e a fim de evitar demoras na leitura dos códigos, é preciso contar com uma entidade certificadora e que lute contra a pirataria desse tipo de emissão. No Brasil, a responsável por essa emissão de códigos é a GS1 Brasil.

Para adquirir seu código de barras, você deve entrar em contato com a entidade, escolher o código ou os códigos necessários e enviar informações sobre a empresa. Uma vez que tudo esteja aprovado, você recebe o boleto de anuidade e pode usar o código de barras.

Novamente, a entidade é responsável apenas pela emissão e geração de códigos via CNP, cabendo ao seu negócio dispor de ferramentas para a gestão e leitura de modo que os códigos sejam efetivamente úteis.

As facilidades do uso desses códigos

A maior facilidade em usar os códigos de barras consiste no fato de que esse uso permite uma automação comercial. Em vez de ter que digitar número por número de identificação de produto, o código é lido muito mais rapidamente pelo leitor específico. Isso gera uma economia de tempo tanto nas movimentações logísticas como na saída do ponto de venda. Com isso, há ganhos de produtividade e aumento de lucros.

Outra facilidade destacável diz respeito ao fato de que ele gera confiabilidade sobre informações. Tanto a empresa como os clientes, em alguns casos, podem acessar as informações e garantir que o produto esteja correto e dentro do esperado. Isso leva a uma diminuição dos erros, aumento da segurança e ganho em qualidade em geral.

Os códigos de barras são muito utilizados nas indústrias e no comércio em geral, automatizando tarefas que, de outro modo, levariam muito tempo para serem realizadas e conteriam uma grande possibilidade de erros. Conhecer mais sobre o funcionamento e uso desses códigos, portanto, é indispensável para que você possa aproveitá-los aos máximo.

Ainda tem alguma dúvida sobre aquisição ou uso de códigos de barras? Escreva nos comentários o que você tem a dizer para que possamos ajudá-lo!

Ebook código de barras

Postagens relacionadas
consumidor
Entenda as mudanças no comportamento do consumidor com a evolução tecnológica
Como exportar? 7 regras de exportação que você precisa conhecer
Gestão de Riscos para transporte de cargas: por que é importante?
Google Shopping: é obrigatório o uso do código de barras e do GTIN?
Google Shopping: é obrigatório o uso do código de barras e do GTIN?
Como fazer uma gestão de estoque eficiente?

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web