consumidor

Entenda as mudanças no comportamento do consumidor com a evolução tecnológica

Philip Kotler, guru do marketing digital, escreveu que o “os fatores culturais exercem a mais ampla influência sobre o comportamento do consumidor”. E se existe algo hoje que molda a forma de agir é a tecnologia.

Ela vem determinando comportamentos e tendências em todas as áreas desde o lançamento comercial da internet, em meados dos 1990, E a explosão dos smartphones e das redes sociais, já na segunda década do século 21, fez com que o consumidor se entregasse de vez à tecnologia.

Ele quer influenciar e ser influenciado em tudo o que lhe interessa: das dicas de lazer às de trânsito, passando obrigatoriamente pelas compras de qualquer tipo de produto. O consumidor quer e está se adequando às tecnologias. E o código de barras é uma delas.

Ficou interessado? Então continue acompanhando o post para saber mais sobre o assunto!

A mudança de comportamento do consumidor

Hoje, o consumidor entra em um supermercado, pega um produto da prateleira e checa no leitor de código de barras o preço. Ele já faz isso naturalmente e até reclama quando um estabelecimento não tem esse equipamento.

Antes, a forma de saber o preço passava por procurar as etiquetas nas prateleiras, muitas vezes confusas, ou um atendente. Agora, essa simples ação é muito mais rápida e eficiente, com menor margem de erro. Além disso, é uma prática consolidada e dominada pelo consumidor.

Já as grandes redes de livrarias apostam no e-commerce e em seus aplicativos, que permitem ao consumidor escanear o código de barras no smartphone para comparar preços com outras lojas. Dessa forma, o comprador pode escolher o melhor lugar para adquirir o produto.

Da loja física, o consumidor vai para a online, carregando consigo as informações que obteve na tela do celular.

A evolução da tecnologia e as relações do negócio

A evolução da tecnologia atingiu todas as etapas da cadeia de consumo, desde os meios de produção à venda, passando pela gestão e pelo marketing. A internet, antes por meio dos sites — e agora pelas redes sociais — conectou empresas e consumidores. Hoje, há uma relação entre as duas pontas do negócio (empresa e consumidor) que não existia antes.

Cria-se, assim, um círculo vicioso positivo. Quanto mais o consumidor usa a tecnologia, mais ele quer novidades. No consumo, ele agora busca experiência, em todas as etapas da compra: na escolha do produto, na hora do pagamento, na entrega e no pós-venda. Não basta mais estar satisfeito com a compra. É preciso compartilhar, comentar, avaliar.

A compra consciente e compartilhada

Hoje, o consumidor vai mais consciente às compras, pois tem na palma da mão inúmeros recursos para comparar não somente preços. Ele também pode checar qualidade, durabilidade, eficiência e a ação da empresa no caso de problema com o produto ou serviço adquirido.

É comum que um consumidor entre na loja e continue a usar seu smartphone enquanto escolhe o produto. Ele procura informações sobre a loja com seus amigos e sites de avaliação.

Depois de fazer o check-in, ele pode compartilhar nas redes sua opinião a respeito da decoração da loja, bem como sobre o atendimento e como está sendo sua experiência. A empresa passa por uma análise informal, mas que tem um alcance longo e rápido.

Em suma, a tecnologia deu poder ao consumidor, e quem não perceber isso certamente vai ficar para trás. O empreendedor tem que se adaptar a essas tendências e adequar a marca a esse novo comportamento do consumidor.

O código de barras como aliado do consumidor

O código de barras avança com vigor como tecnologia principal na relação com o comprador. Se em supermercados e no pagamento de contas via internet banking o serviço já está consolidado, ainda há um campo imenso para avançar em outros setores.

Segundo estudo da GS1 Brasil, 92% dos consumidores entendem que o código de barras serve para consultar preços. No mesmo patamar, 91% sabem que o código serve para pagar contas. Já 74% percebem que usam o código para realizar compras em lojas.

Hoje, 87% dos produtos vendidos usam o código de barras. Essa ferramenta tem sido uma aliada do consumidor numa época em que ele muda de comportamento na hora da compra.

O futuro da tecnologia

O código de barras também está no radar desse consumidor quando ele olha para o futuro. A pesquisa Tendências e Comportamento do Mercado Nacional, da GS1 Brasil, identificou que os clientes querem usar o código para:

  • fazer pagamentos (89%);

  • realizar compras (83%);

  • saber a validade do produto (83%);

  • ler o rótulo do produto (79%);

  • ser identificado (76%);

  • obter informações do produto (76%);

  • internação em clínicas e hospitais (74%);

  • rastrear o que se consome (71%).

Isso tudo porque o smartphone está cada vez mais presente na vida do consumidor, muito além da diversão. Hoje, já existem bancos cuja única plataforma de atendimento é o app do celular.

Se atualmente o comprador percebe o código de barras como uma ferramenta de consulta de preços, no futuro, ele quer que essa tecnologia se torne a principal fonte de informações de um produto ou um serviço.

Confiança e praticidade

Ainda falando da pesquisa Tendências do Consumidor, o estudo mostra que 83% buscam informações do produto pela internet, enquanto 41% preferem ir à loja e 21% usam os aplicativos.

O consumidor mostra confiança na tecnologia e em suas aplicações. É o que acontece na Coreia do Sul. No metrô de lá, há um supermercado virtual nas plataformas, com displays expostos com fotos do produto e um QR Code. O consumidor aponta o celular, faz a compra e recebe o produto em casa.

Não há nada armazenado nas estações. Somente informação, que a tecnologia traduz em praticidade e segurança para quem compra.

O código de barras também é um grande aliado do empreendedor, não importa se grande ou pequeno. Entre as vantagens dessa ferramenta, estão a gestão eficiente de estoque, a otimização do tempo de trabalho e a redução de falhas.

Um dado que reforça a importância do código de barras no futuro do consumo foi levantado na pesquisa de Tendências. A avaliação de que o consumidor está buscando mais informações sobre o produto já é perceptível para 67% das empresas entrevistadas.

A tecnologia tem a perspectiva de unir as duas pontas dessa cadeia: o desejo de informação e o de vender com qualidade. O código de barras faz essa ponte com a segurança de uma ferramenta já bem conhecida.

Por falar nela, leia o post que trata da percepção do consumidor sobre a função do código de barras!

 
Postagens relacionadas
[Estudo] Índice de Automação do Mercado Brasileiro 2017
Aprenda a usar a mobilidade para fortalecer o relacionamento com o cliente
Monitoramento de Carga: 7 dicas para um transporte mais seguro
Os 7 principais cuidados que você precisa ter na hora de exportar produtos
Como realizar um controle de estoque realmente eficiente?

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web