Entenda a importância do planejamento tributário para sua empresa

Você já ouviu falar em planejamento tributário para empresas? Mesmo não conhecendo o termo, provavelmente você já sabe que os impostos e tributos pagos pelas empresas geram, além de despesas, muitas dores de cabeça. Isso porque os compromissos fiscais que incidem sobre pequenas, médias e grandes empresas são tão complexos que, às vezes, mesmo sem a intenção de sonegar, erros são cometidos e as multas aparecem.

Além disso, por não conhecer bem as regras e condições fiscais, muitos empreendedores acabam desembolsando mais do que deveriam. Porém, para ajudar você e sua empresa andarem em dia com os impostos e traçar estratégias para economizar com os tributos, vamos explicar tudo sobre como executar um bom planejamento tributário e entrar em 2017 mais preparado. Vamos lá?

O que é o planejamento tributário?

O planejamento tributário é a administração e controle dos compromissos fiscais da empresa. Assim como o planejamento financeiro, de estoque ou de marketing, o planejamento tributário faz parte da gestão empresarial e tem como finalidade otimizar o funcionamento e os lucros da empresa, principalmente reduzindo despesas com impostos.

Em um bom planejamento tributário há uma gestão eficiente dos compromissos fiscais da empresa, organizando pagamentos, mantendo a legalidade dos negócios e estudando formas de reduzir os gastos com os impostos.

Há duas categorias de planejamento tributário:

Operacional

O planejamento tributário operacional é o que deve ser inserido como ferramenta básica de administração da sua empresa. Envolve o acompanhamento rotineiro e execução de atividades referentes ao pagamento de impostos e análise constante da situação fiscal da empresa. Essas operações envolvem balanços periódicos para levantamento de valores gastos com os compromissos tributários. O ideal é que o planejamento operacional esteja alinhado entre a equipe contábil da empresa e seus donos e gestores.

Estratégico

Antes de efetivar o operacional, é preciso traçar o planejamento tributário estratégico. Como o próprio nome indica, o planejamento estratégico é aquele que traça as melhores formas de cumprir os deveres fiscais. Isso inclui encontrar o regime tributário ideal para cada tipo de empresa, aquele que mais se enquadra com as características do negócio. As estratégias também ajudam na hora de conseguir incentivos e abatimentos tributários.

Como diminuir os impostos?

A carga tributária é uma das grandes responsáveis por aumentar o preço do produto final, dificultando a relação com a concorrência e consequentemente comprometendo as vendas. O planejamento tributário tem como objetivo reduzir os gastos com impostos, e assim, conseguir diminuir o preço dos produtos e aumentar o lucro da empresa.

Para alcançar esse objetivo, existem algumas estratégias que podem ser utilizadas no seu planejamento.

Redução sobre as taxas

Uma maneira de pagar menos impostos, sem fugir da legalidade, é diminuir a contribuição dos impostos que podem ser reduzidos. Um exemplo é diminuir o Fator Acidentário de Prevenção, e com isso minimizar os gastos com os Seguros de Acidentes de Trabalho.

Outra forma de reduzir as taxas é aproveitando as políticas de incentivos fiscais. Investimentos em campos sociais e culturais ajudam no abatimento fiscal e contribuem para a construção de uma imagem positiva da empresa.

Diminuição da incidência de impostos

Tente diminuir os fatores operacionais que geram impostos. A melhor forma de conseguir esse feito é adequando a empresa às condições de isenção de impostos que são oferecidas em cada município. Com isso, menos tributos incidem sobre seu negócio.

Prolongar o pagamento

Outra dica para seu planejamento tributário é adiar o pagamento dos impostos que não cobram juros por vencimento. Algumas alíquotas não são acrescidas de multas após a data de pagamento, dessa forma, se não é um bom momento financeiro para pagá-las, adie. Com o planejamento você consegue verificar quais são os melhores momentos para pagar os impostos sem comprometer seu capital de giro ou seus lucros.

Como se preparar para 2017?

Quando o assunto é planejamento tributário, é importante você lembrar que, mais do que analisar as situações e andar em dia com as contas, é preciso preparação com visão de futuro. Nesse sentido, é necessário estar atento às mudanças que aparecerão no cenário econômico do país.

A princípio, nenhuma modificação ou alteração em valores tributários foram aprovadas recentemente. Porém, algumas mudanças já haviam sido aprovadas pelo Governo e entrarão em vigor em 2017, como o caso da partilha do ICMS e reajustes do Imposto de Renda.

Partilha do ICMS

Em 2017, mudará o percentual da divisão do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS). Agora, nas vendas interestaduais, a empresa de destino do produto deverá arcar com 60% do valor da diferença das alíquotas interna e interestadual. Já a empresa remetente pagará 40% do valor.

A mudança atinge as empresas que compram mercadorias de outros estados, já que agora a maior responsabilidade sobre o imposto será delas.

Caso a empresa seja remetente da mercadoria, ela só deverá pagar a maior parte do imposto caso o destinatário seja uma pessoa física.

As mudanças ocorrerão a partir de janeiro do próximo ano. E o objetivo da medida é que, até 2019, 100% da diferença das alíquotas interna e interestadual seja recolhida pela empresa de destino.

Imposto de Renda

A regra que passa a valer em 2017 é a seguinte: o ganho da pessoa jurídica sobre alienação de bens (vendas) e direitos do ativo não circulante sofrem incidência do imposto de renda.

Mas qual é a mudança na prática? O ganho verificado na diferença positiva do valor de venda e do valor contábil está sujeito ao imposto. Ou seja, em toda operação de venda com obtenção de lucro, o tributo deve ser recolhido.

Com essas mudanças, é melhor ficar atento e começar a fazer seu planejamento tributário. Mais do que anotar em planilhas e fazer contas, o planejamento envolve análise, reflexão e ação. Um bom planejamento é aquele que consegue encontrar as melhores formas de driblar os impostos e diminuir os compromissos fiscais dentro da legalidade e sem comprometer o funcionamento da empresa.

Lembre-se de que, na hora de realizar seu planejamento tributário, a consultoria de um profissional contábil capacitado e experiente faz toda a diferença!

Gostou das nossas dicas? Leia também nosso post sobre quais impostos devem ser pagos pelas micro e pequenas empresas e encontre as respostas das suas dúvidas sobre gestão fiscal!

 
 
Postagens relacionadas
Entenda para que servem os diferentes tipos de nota fiscal eletrônica
5 lições para o novo projeto não virar um pesadelo
Gestão de empresas: 7 ferramentas de estratégia para ajudar!
Estratégia oceano azul: o que é e qual sua importância?
Aprenda a usar as 5 forças de Porter para fortalecer o negócio

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web