8 passos para se tornar um empreendedor de sucesso

plataforma GS1Powered by Rock Convert

Conteúdo atualizado em setembro de 2020. 

Empreender é, sem dúvidas, uma tarefa emocionante, afinal, todas as atividades envolvidas no processo podem transformar a vida de uma pessoa. Desde saber como lidar com a abertura de uma empresa até ser um bom gestor, o caminho sempre mostra novos aprendizados. Entretanto, existe uma diferença entre meramente empreender e como ser empreendedor de sucesso.

Lembre-se de que a escalada é longa, mas, ao final, cada esforço valerá a pena. Por mais que não exista um segredo para chegar ao topo, é possível seguir algumas dicas existentes no mercado que já ajudaram outras organizações a deslanchar. Afinal, para ser um empreendedor de sucesso e ter um negócio lucrativo, além de trabalhar duro, é preciso agir de maneira inteligente.

Para ajudá-lo nessa trajetória, separamos 8 passos que transformarão você em um empreendedor bem-sucedido. Confira!

1. Plano de negócios

Mesmo que você já tenha uma empresa ou esteja começando com um projeto agora, um plano de negócios é essencial para qualquer empreendedor que queira crescer. Um bom planejamento é importante para prever o crescimento, os custos e os investimentos de um negócio, e, por isso, é tão relevante que seja considerado.

Se em nossa vida pessoal tudo é planejado, o que nos faria pensar que em uma empresa seria diferente? Da mesma forma que você planeja a viagem de férias, a chegada de um filho e a troca do carro, também é importante prever a aquisição de matérias-primas e equipamentos, contratações e demissões, além das tendências de mercado.

O planejamento funciona, em outras palavras, como uma previsão do futuro da empresa, podendo ser repensado e remodelado ao longo do caminho, corrigindo erros e ajustando alguns pontos conforme o andamento da organização, e do contexto no qual ela está inserida.

Para elaborar um plano eficiente, avalie pontos como os apresentados a seguir:​

  • o tipo de produto que você desenvolve e materiais necessários: aqui, estamos falando tanto das matérias-primas quanto insumos para a produção;
  • o mercado no qual você está inserido e hábitos de consumo dos clientes: lembre-se de que os hábitos de consumo mudaram com o passar do tempo e você precisa pensar em atender o seu cliente de acordo com essa nova realidade, considerando seus anseios e expectativas;
  • como funciona a competitividade e como os concorrentes se comportam: para não “ficar para trás”, vale manter um olho na concorrência e em quais diferenciais ela vem oferecendo ao seu público;
  • a previsão estimada de vendas e meios de fazê-las: a partir de estudos de mercado é possível estimar as vendas de determinados itens e essa informação é válida para regular a produção;
  • como você montará e preparará as ações de marketing para a divulgação, venda e anúncios dos produtos: hoje em dia, temos o marketing digital e uma série de outras estratégias para fazer com que o seu produto fique conhecido;
  • quais são as etapas detalhadas do processo de produção do produto: por mais estranho que pareça, alguns gestores não têm ideia do que acontece dentro da sua empresa. Porém, lembre-se de que o bom gestor entende de cada etapa pela qual os seus itens passam antes de chegar ao consumidor;
  • questões financeiras, como quanto dinheiro investir e qual o lucro bruto esperado: aqui, podemos retomar a questão do planejamento, tão importante para manter as contas em dia.

2. Gestão empresarial

Um dos segredos para ser competitivo no mercado, mesmo entre empresas maiores, é ter uma excelente gestão empresarial. Isso porque, quando ela é eficiente, se torna capaz de sustentar o negócio a longo prazo, pois deixa a organização apta a identificar erros e aplicar as correções necessárias para dar destaque ao produto.

A boa gestão de empresas deve cuidar de áreas como finanças, ao controlar fornecedores, reduzir custos e otimizar as vendas. Produtividade, ao conhecer o desempenho de cada funcionário e ao entender a eficiência das tarefas e diversos outros setores. Lembre-se de que, para prosperar, é preciso cuidar tanto da sua produção quanto dos recursos humanos existentes em sua empresa.

Todas as áreas de uma empresa são influenciadas por uma boa gestão, e isso também está relacionado ao ambiente de trabalho, que muito impacta na produtividade. Entretanto, é difícil para um empreendedor ter sob controle todos os dados, relatórios e informações de cada setor. Por isso, é possível contar com a ajuda de softwares de gestão que facilitam o processo.

3. Liderança

Uma empresa precisa de um bom líder e os colaboradores de uma forte presença que inspire segurança. Aliás, o próprio negócio exigirá que você desenvolva características de liderança para gerar um crescimento saudável. Vale lembrar que ser um líder é diferente de ser um chefe — aquele modelo engessado de alguém que só dá ordens.

Um bom líder sabe tirar o melhor dos colaboradores, fazendo com que as equipes produzam com um potencial máximo, ao mesmo tempo em que se desenvolvem. Respeitar os funcionários, definir prioridades, saber ouvir sugestões e delegar funções também são características de uma liderança efetiva. Lembre-se que, acima de tudo, ser líder é ser um exemplo.

Aliás, a empresa também precisa de perfis de liderança em diversos postos. O colaborador que é líder nato vai tomar iniciativas e propor soluções importantes para os diversos problemas enfrentados pela companhia. Você, como empreendedor, também deve auxiliar no desenvolvimento dessa característica.

4. Amor ao trabalho

Você pode seguir todas as dicas de empreendedores de sucesso e estudar todo o conteúdo possível, mas se não for apaixonado pelo que faz, provavelmente seu negócio terá um prazo de validade. Isso porque o idealismo do empreendedorismo é apostar em um propósito que mova você todos os dias, algo que você realmente acredite que pode melhorar a vida de alguém.

Essa é a razão que move muitas pessoas, insatisfeitas com sua vida profissional em empresas, a arriscarem um negócio próprio. Caso contrário, não valeria a pena correr os riscos de ser o seu próprio patrão.

Empreender em algo que você não gosta só porque “está na moda” ou “parece ser lucrativo”, fará com que você se canse de realizar uma atividade que não traz prazer e se desmotive em acordar para trabalhar todos os dias.

Quem faz o que ama é mais feliz e alcança os melhores resultados profissionais. Se considerarmos que, muitas vezes, passamos mais tempo no trabalho que em casa, com nossa família, fica fácil concluir que o trabalho, além de retorno financeiro, deve trazer realização pessoal.

5. Networking

O networking se baseia em manter contato com outros profissionais e é uma boa maneira de ampliar as oportunidades de um negócio. Afinal, o que importa não é a quantidade de gente que você conhece, mas sim quem você pode contatar. Uma boa rede de contatos é construída a partir do cultivo de boas relações com as pessoas que passam pelo seu caminho.

Ela consiste em focar sua atenção em pessoas com quem sua empresa pode fazer boas relações de negócio no futuro, como fornecedores, clientes, colaboradores e parceiros. É verdade que palestras e eventos favorecem o contato com pessoas em potencial, mas redes sociais, com o Facebook e LinkedIn, também podem ser úteis no processo.

Banner Tudo que você precisa saber sobre Código de BarrasPowered by Rock Convert

6. Capacidades e deficiências

Ninguém é ou precisa ser bom em tudo. Por isso, é fundamental que um empreendedor reconheça as áreas que não administra bem, seja por falta de conhecimento ou por dificuldades no assunto. É preciso entender que não há problemas em reconhecer suas limitações e buscar apoio para supri-las.

Ao avaliar esses pontos que necessitam de ajuda, você consegue buscar auxílio externo (empresas terceirizadas ou consultores) ou interno (colaboradores ou sócios), evitando que essa “fraqueza” se estenda ao negócio como um todo. Dessa forma, as preocupações são eliminadas e você consegue melhorar os resultados.

7. Escalabilidade

Quem não deseja ver seu empreendimento crescendo e recebendo novas oportunidades, não é mesmo? A escalabilidade é a capacidade que uma empresa tem de crescer atendendo a novas demandas sem perder as qualidades que agregam valor. Uma empresa escalável tem a competência de aumentar o faturamento sem precisar aumentar proporcionalmente os custos.

Se seu negócio é escalável, ele apresenta potencial de expansão — preferencialmente sem limites. No panorama de empreendedorismo atual, é cada vez mais interessante que as empresas sejam escaláveis para que consigam gerar mais faturamento. Também é importante que o negócio não dependa única e exclusivamente de você. Imagine que sua empresa é um carro: você deve ser o volante, e não o motor.

Fica difícil para um negócio tomar maiores proporções quando depende muito de uma pessoa, por isso, procure sempre delegar tarefas e deixar outras pessoas responsáveis por atividades importantes. Lembre-se de que, quando mais pessoas pensam juntas, podem surgir ideias brilhantes. Dessa forma, seu negócio tem grandes chances de crescer de maneira efetiva e continuar oferecendo experiências positivas no atendimento aos clientes.

8. Inovação

Um bom empreendedor nunca envelhece. Não estamos falando de idade cronológica, mas, sim, da capacidade de se manter informado e atualizado e estender isso para a sua empresa. Todos sabemos que vivemos em um momento no qual a tecnologia está em constante expansão. A cada dia, surgem novos dispositivos e canais que, quando bem-utilizados, são capazes de fazer com que a sua empresa “vá longe”.

Os sistemas de gestão empresarial, por exemplo, que antes se destinavam apenas às grandes marcas, já fazem parte do dia a dia também do pequeno empreendedor moderno. O mesmo podemos dizer para a disponibilização de redes sociais e programas de bate-papo que permitem a interação com o público.

Um outro ponto importante que podemos citar aqui é a implantação do código de barras. Codificar seus produtos permite otimizar o tempo dos seus colaboradores e construir uma imagem de confiança no mercado. O registro para a codificação é fácil e acessível a todo empresário, e os benefícios são inúmeros.

Com o código de barras, você ganha facilidades na hora de gerenciar seu estoque, já que as entradas e saídas podem ser registradas a partir de um leitor óptico, eliminando o trabalho de lançar item por item manualmente — relatórios de vendas e rastreamento de entregas também são processos que se tornam mais efetivos.

Essas vantagens se estendem também ao seu cliente, que ganha agilidade no gerenciamento de estoque. Além disso, o código de barras é uma formalidade que confere ao seu negócio uma imagem mais séria e confiável junto ao mercado.

9. Atualização

O mercado, em termos gerais, está em constante transformação. O empreendedor de sucesso certamente está sempre pronto a acompanhar esse processo. Para isso, é importante manter-se constantemente atualizado. Assim sendo, participe constantemente de cursos, palestras, conferências e quaisquer outros eventos que possibilitem ampliar seus conhecimentos.

Essa questão deve estender-se também às suas equipes. Aliás, escolher profissionais que estejam dispostos a evoluir nesse sentido ajuda você a construir um clima de contínuo aprimoramento em sua empresa. Tal hábito pode ser cultivado e estimulado a partir da promoção de treinamentos internos e de parcerias que gerem descontos em cursos relacionados à sua área de atuação.

O bom empreendedor nunca se acomoda. Ele tem a consciência de que precisa evoluir sempre para continuar atendendo às expectativas do seu público. As exigências, os hábitos de consumo e toda a dinâmica da sociedade muda o tempo todo. Muito mais que acompanhar essas mudanças, a sua empresa pode se tornar, algumas vezes, o agente que propõe a inovação. Contudo, para isso, você precisa manter-se sempre atualizado.

10. Criatividade

O bom empreendedor é criativo e ele exercita essa criatividade dia após dia. Vale lembrar que não estamos falando de uma característica nata: ela pode ser desenvolvida. Toda pessoa pode tornar-se criativa a partir de exercícios diários.

A mente criativa deve estar sempre pronta ao novo, abrindo mão da clássica ideia de que “não se troca o caminho velho pelo novo”. Muitas vezes, é preciso trocar, sim! Contudo, não se resume apenas a isso, há quem chegue ao sucesso criando seu próprio caminho.

O criativo também é aquele que pensa. Ele vive refletindo sobre vivências suas e das pessoas à sua volta e dedica um tempo diário a essas reflexões, que podem trazer importantes insights. Portanto, se você quer tornar-se alguém criativo, pense!

Além disso, aprenda a valorizar a sua autenticidade e abrir mão daquela ideia de que criatividade não é o seu forte. Você deve ser o primeiro a acreditar no próprio potencial. Jamais duvide do poder da sua mente criativa e você verá como as ideias vão fluir com mais naturalidade.

Empreender exige muita dedicação e capacidade para contornar os possíveis problemas que aparecem na trajetória — e essas soluções certamente exigem técnica, mas também uma boa dose de criatividade. Aqueles que perseveram, usando conhecimento e visão para alavancar um negócio, sempre crescem junto dele. Esses são os passos que levarão você onde você sempre sonhou chegar.

Eis a importância de saber como ser empreendedor de sucesso: estar ciente que o seu crescimento depende quase que exclusivamente de você, das suas atitudes. Para ajudá-lo, entretanto, você pode contar com recursos tecnológicos, indicadores do negócio e informação. Nem tudo estará em sua cabeça, mas é importante saber utilizar as ferramentas certas para propor soluções inovadoras.

Gostou deste post? Então, não deixe de nos seguir nas redes sociais para ter acesso a outros conteúdos relevantes para o seu negócio.

Banner para o Guia da Negociação: Como fechar mais negócios e otimizar seu resultadoPowered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.