Onde o código ITF-14 é utilizado?

Os códigos de barras, criados nos EUA em 1952, tornaram-se muito populares e eficientes, facilitando as operações de identificação de produtos no mundo todo. Mas vale dizer que há diversos tipos de códigos, que se ajustam a diferentes demandas e mercados.

Por esse motivo, o responsável pela gestão dos códigos de barras precisa entender bem as opções existentes, assegurando-se de que a que for escolhida para seu negócio realmente corresponde ao formato que lhe seja favorável.

Você já conhece, por exemplo, o código ITF-14? Sabe em que ocasiões ele é usado? Leia o post e tire suas dúvidas!

O conceito do código ITF-14.

O código IFT-14 (Também usualmente chamado de DUN) é o tipo de código de barras utilizado na identificação de caixas homogêneas (com o mesmo produto) de despacho ou caixas de distribuição de uma determinada mercadoria. Ele serve, portanto, como elemento identificador em caixas, volumes grandes e paletes.

Essas caixas também são chamadas de “caixas máster”. Por meio delas, o gestor pode realizar um bom controle de estoque. Esse código torna-se, portanto, muito importante para todos os varejistas, atacadistas e demais comerciantes que trabalham com grande volume de itens.

ITF é a sigla para Interleaved Two of Five, que tem como definição a identificação de unidades logísticas homogêneas. Abaixo podemos ver um exemplo do código ITF-14 e sua formação.

A composição do código ITF-14

Para representar o código ITF-14, usa-se o GTIN 14. GTIN é a sigla para Número Global de Item Comercial (em inglês: Global Trade Item Number) e atende à sequência numérica que está logo abaixo do código de barras.

O GTIN 14 é formado assim:

  • Indicador de Unidade Logística GTIN -13 13, sem o dígito verificador;
  • dígito verificador do GTIN-14

A sequência, ou sequencial, de identificação da unidade logística pode apresentar valores de 1 até 8. Ou seja, podem existir até oito agrupamentos de distribuição. O número 9 fica reservado para medida variável.

O código EAN 13 e o código ITF-14

O código EAN 13 serve para a identificação de itens individuais e pode ser aproveitado em qualquer produto comercial. Já o código ITF-14 serve para a identificação das caixas, no interior das quais estão os produtos individuais com o seu GTIN

O uso do código IFT-14 facilita o trabalho em lojas de atacado e varejo, na medida em que permite acelerar o recebimento e o despacho das mercadorias. Não é necessário abrir a caixa e proceder a uma leitura individual do código de barras de cada produto contido nela. O leitor óptico precisará somente ler o código ITF da embalagem para que seja registrada a contagem de produtos que ela apresenta.

Sem o código ITF, o processo de controle e comercialização seria muito demorado, o que implicaria em prejuízos para empresas, varejos e centros de distribuição.

A quantidade de cada produto dentro de uma caixa é determinada pelo fabricante. Quando ele cria um GTIN 1 para uma unidade logística de um produto específico (o qual já possui um GTIN-13), o código precisa ser compartilhado com todos os distribuidores para que eles possam carregar sua base de dados com o novo código.

Dessa forma, os dispositivos de leitura de código de barras poderão confirmar a quantidade de cada produto que está entrando no depósito.

Exemplificando a utilização do código ITF-14

Considere que, em dada fábrica, seja produzido um produto X, cujo EAN 13 tem a numeração 7257091688218. Esse produto é repassado para os distribuidores em caixas de 25, 50, 75 e de 100 unidades.

O GTIN 14 para o código ITF será representado da seguinte forma:

  • caixa com 25 unidades: 17257091688215;
  • caixa com 50 unidades: 27257091688212;
  • caixa com 75 unidades: 37257091688219;
  • caixa com 100 unidades: 47257091688216.

Os algarismos 1, 2, 3 e 4 (logo no início) representam, sequencialmente, o indicador de unidade logística1 é a caixa com 25 unidades, o primeiro agrupamento; 2 é a caixa com 50 unidades, o segundo agrupamento; 3 é a caixa com 75 unidades, o terceiro conjunto; e 4 é a caixa com 100 itens, o quarto agrupamento.

Você não precisa seguir necessariamente essa ordem em seus agrupamentos, mas nunca poderá fazer mais de 8. Abaixo podemos ver a estrutura genérica de um ITF-14.

As vantagens em utilizar o código ITF

O código ITF oferece muitos benefícios para os atacadistas e varejistas:

·         controle de custos;

·         agilização dos processos;

·         otimização das vendas;

·         atendimento às necessidades dos comerciantes que operam com grande volume de produtos.

Outras considerações sobre o código ITF

É importante conhecer outros aspectos sobre o código ITF. Vale dizer, por exemplo, que essa solução pode ser aplicada em apenas um tipo de produto, ou seja, não poderão existir itens diferentes dentro de uma mesma caixa. Afinal, itens diferentes implicam em códigos de barras diferentes.

A finalidade do código ITF é permitir que o distribuidor identifique quantas unidades de um produto específico está entrando no armazém ou depósito. Trata-se, portanto, de um tipo de código de barras puramente logístico.

Postagens relacionadas
código de barras EAN
9 principais dúvidas sobre o código de barras EAN
A relevância do código de barras para o desempenho comercial da empresa
7 coisas para saber sobre código de barras antes de começar a exportar
Métodos para gestão de estoque: descubra qual o ideal para você!
Design de embalagens: tudo que você precisa saber antes de criar a sua

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web