Gestão de Riscos para transporte de cargas: por que é importante?

Quando empresários e gestores têm de transportar suas cargas, é comum que tenham de enfrentar uma série de desafios nesse processo devido aos fatores internos e externos ligados a essa operação.

É aí que aparece a importância da gestão de riscos, que visa minimizar ao máximo esses problemas para garantir segurança a colaboradores, veículos e cargas — além de qualificar e otimizar as entregas e reduzir custos previstos e imprevistos.

No post de hoje você vai ver quais sãos os principais riscos ligados ao transporte de cargas e entender como uma boa gestão pode potencializar a segurança e a eficiência. Confira!

Riscos para cargas

Produtos diferentes podem ser transportados em distintas embalagens, pesos e outras características. Por isso, demandam específicos veículos, formas de armazenamento, tempos para conclusão de transporte e manuseios. Não gerenciar corretamente esses quesitos — em conjunto — pode resultar em mercadorias estragadas durante a viagem e danos a itens na carga, na descarga e durante o transporte.

Além disso, a documentação dos lotes é muito importante e não dá margem para erros. Então, não ter um gerenciamento excelente também certamente acaba em multa do Fisco nas paradas obrigatórias e até interrupção do trajeto pelas autoridades, gerando transtornos para empresa e cliente e possibilitando perecimento de produtos.

Riscos para caminhões

Além de os veículos serem insubstituíveis nessas operações, são bens do ativo da empresa que valem muito dinheiro. Ou seja, é preciso obrigatoriamente gerenciar os riscos ligados a eles, pois qualquer ocorrência que os danifique pode afetar o negócio em pontos diversos.

Não adequar a carga ao veículo, por exemplo, pode avariá-la, e os danos podem se estender ao caminhão — como se o peso for incompatível à sua capacidade. Além disso, o descontrole sobre as condições veiculares e suas características pode causar graves problemas, com consequências a serem sentidas em gastos e vendas.

Riscos para motoristas

Colaboradores que ficam à frente de volantes de caminhões com milhares de reais em produtos nos compartimentos de cargas têm enorme responsabilidade. Alguns produtos podem necessitar de certa experiência para que sejam transportados, e outros obrigam que caminhoneiros tenham certificações específicas.

E o que também ocorre é que esses profissionais ficam expostos acidentes de trânsito, assaltos e outros transtornos existentes em rotas.

Riscos para os processos

Qualquer perigo que se materialize em fato gera consequências diretas nas atividades. Por exemplo, se houver roubo de cargas, além da situação pela qual o motorista passa, há perda de mercadoria comprada pelo cliente e prejuízo de fontes diversas — o que pode culminar com a perda do comprador.

Excluindo o fator violência, a falta de manutenção veicular com resultado em caminhão estragado durante a viagem tem potencial para causar os mesmos problemas que citamos acima.

Já o dano à carga é mais direto e claro: se os produtos forem avariados ou danificados por má gestão logística, perde-se o pedido e o cliente imediatamente.

Gestão de riscos para segurança e redução de custos

O mais importante no gerenciamento dos riscos é que ele contemple o processo logístico e de transporte do início ao fim — da escolha das pessoas e recursos até a entrega ao cliente.

Motoristas

Uma boa gestão faz triagem dos melhores funcionários para cada entrega. Isso pode ser feito de acordo com as especializações de cada um e, também, com a avaliação de tempo de experiência, de viagens feitas anteriormente e demais elementos do histórico em geral.

Assim, evita-se que alguma responsabilidade muito grande seja atribuída a alguém ainda não tão preparado e experiente, o que diminui as chances de ocorrer problemas. Além disso, a organização dos colaboradores fica melhor e mais rápida quando vinculada a tipos, tamanhos e datas de transportes pré-definidos.

Caminhões e cargas

A gestão de riscos evita que cargas sejam transportadas nos primeiros caminhões disponíveis ou algo parecido. Analisando as particularidades de cada lote, se estabelecem diretrizes de deslocamento para que elas passem por toda a operação seguramente.

Sem esse processo, produtos podem ser carregados sem segurança ou boas condições de armazenamento, e veículos podem ter capacidade superada e desempenho afetado — gerando mais desgaste e consumo de combustível.

De forma mais direta em relação aos veículos, planejamento e execução de manutenções, vistorias e cuidados são de extrema importância. Os caminhões mantêm o funcionamento de parte das vendas e, como dissemos, são uma parcela importante e relevante do ativo empresarial.

Logística

A logística tem tanta significância quanto o transporte em si. E, às vezes, é o que causa gastos excessivos e demora em concluir as entregas. Porém, com um bom gerenciamento é possível agilizar cargas e descargas, o que qualifica o processo e economiza dinheiro. E todos os envolvidos ganham.

Nesse campo, a coordenação se estende da rapidez às melhores formas e ferramentas para atuação visando a integridade das cargas com manuseios específicos.

Rotas

A melhor rota nem sempre é a mais curta — por em geral poupar tempo e combustível. Os bons caminhos são os que apresentam menor possibilidade de causar problemas como acidentes, quebra de peças, engarrafamentos e assaltos.

Planejar e manter controle sobre os dados de trechos longos e curtos para que os riscos sejam reduzidos garante mais segurança aos funcionários que os cumprem, às cargas e aos veículos. Consequentemente, ao negócio e aos seus clientes também.

E fazendo isso, torna-se possível adequar as rotas menos perigosas em diversos sentidos a caminhos que exijam menos quilômetros percorridos e, possivelmente, menos quantidade de combustível.

A gestão riscos, como vimos, afeta diretamente o aumento de segurança e responsável por redução de custos e ganho de eficiência e qualidade em transporte.

Gradualmente, tais percepções geram benefícios à frente em ganho de competitividade para a empresa que faz bom gerenciamento das ameaças inerentes a esses processos porque sobram recursos. Além disso, os clientes prezam por transportes ágeis, seguros e inteligentes. E ganhar competitividade no mercado sempre é ótimo, ainda que ocorra como consequência de outro planejamento.

E então, você está fazendo a gestão de riscos na sua empresa? Você acredita que pode aperfeiçoar seus processos logísticos e reduzir algumas despesas? Deixe seu comentário!

 

Postagens relacionadas
Logística Reversa: Guia completo de como reduzir gastos com retorno no seu negócio
Atenção! O que você precisa saber antes de usar códigos de barras?
Como o controle de estoque impacta diretamente nos lucros da empresa?
marketplace
Quais são as exigências para vender em uma plataforma marketplace?
FCL e LCL: entenda o que significam no transporte de cargas

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web