Gestão de produtos: dando vida a um objeto

Você sabe o que seu cliente quer? Responder a essa pergunta de uma forma que verdadeiramente atenda às necessidades dos consumidores ou solucione seus problemas é crucial para o sucesso de um negócio. Para ter plena certeza, a organização precisa de uma boa gestão de produtos. Sua empresa sabe como fazê-la?

Se você também quer descobrir como a gestão de produtos pode ajudá-lo a atender melhor o cliente, aumentar seus níveis de satisfação e realizar excelentes negócios, este post foi feito especialmente para ajudá-lo! Confira!

O que é produto?

Existem definições clássicas, encontradas no dicionário, além das aplicações em cada ramo de negócio.

Então, apesar de o conceito geral dizer que produto é o resultado da produção, algo definido pelo trabalho ou esforço, resultado de um ato, processo, venda ou trabalho, o fato é que o entendimento dele por parte de um empreendedor pode ser muito mais simples.

Produto é tudo o que pode ser oferecido a um mercado para satisfazer uma demanda ou necessidade, seja concreto ou abstrato. Em outras palavras, é a solução que você tem para atender o problema de alguém, de um jeito mensurável.

Para tornar isso possível, é preciso responder três perguntas básicas:

  • O que será oferecido?

  • Como oferecer?

  • Por que oferecer?

Portanto, o primeiro passo é definir o problema e o que a empresa pode fazer para resolvê-lo. Essa é a base para planejá-lo e desenvolvê-lo com sucesso.

Porém, o desenvolvimento de um produto envolve mais que isso. Ele combina certos atributos, como suas dimensões físicas, materiais utilizados na elaboração, suas funções, o desempenho, a marca, o preço e a embalagem.

Qual é o papel da gestão de produtos?

Depois de entender o que é um produto, é hora de pensar em como torná-lo real. É aí que entra a gestão de produtos.

Resumidamente, podemos dizer que o gestor de produtos é o profissional responsável por trazer a visão do cliente à empresa, angariar recursos interna e externamente, organizar seu desenvolvimento articulando áreas e pessoas com o objetivo de levar ao consumidor uma oferta diferenciada que atenda às suas necessidades.

Para tornar esse conceito mais fácil, vamos pensar em alguns exemplos:

Na arquitetura, a gestão do produto pode ser feita pelo arquiteto que se empenha em atender às necessidades de sua clientela, passa a desenhar soluções que atendam a essa demanda, seleciona todo o material necessário e faz o processo culminar na produção de algo que o consumidor busca — como uma construção ou móvel, por exemplo.

Podemos imaginar também uma empresa de software que vende sistemas para escolas. Os proprietários precisam entender quais as dificuldades que seus clientes enfrentam no dia a dia, quais documentos e relatórios precisam elaborar, quais dados precisam integrar para facilitar as tarefas recorrentes e oferecer um produto intuitivo e fácil de usar que atenda a todas essas necessidades.

No caso de um fabricante de produtos alimentícios, é preciso haver um estudo do mercado e a busca por novas formas de satisfazer o cliente. Qual é a demanda atual? O consumidor busca alimentos que preservem o sabor, mas que possuem teor reduzido de elementos específicos, como açúcar, gordura ou sódio? Esse é o papel da gestão de produtos.

Como fazer a gestão de produtos?

Para fazer uma boa gestão de produtos, é fundamental avaliar:

  • A estratégia do negócio;

  • O mercado;

  • Os requisitos básicos definidos a partir do estudo do público-alvo;

  • Prospecção e mapeamento da tecnologia;

  • A legislação e as normas referentes ao assunto;

  • Os riscos que o negócio apresenta;

  • Se existem os conhecimentos e competências necessárias na organização;

  • A viabilidade;

  • Quais as necessidades em termos de fornecedores, suprimentos e possíveis parcerias.

Uma gestão eficiente garante o desenvolvimento de padrões de qualidade superiores em todas as etapas de fabricação: a concepção, o desenvolvimento e o controle dos produtos e processos.

Ela engloba e utiliza dados das dimensões da gestão estratégica, financeira, tecnológica e cuida, inclusive, da questão da sustentabilidade e redução de desperdícios.

Como a gestão de produtos e gestão de marketing se relacionam na empresa?

Embora sejam setores separados de uma companhia, a gestão de produtos e a gestão de marketing precisam estar alinhadas.

Isso é fundamental porque, enquanto a primeira procura desenvolver a melhor mercadoria ou serviço para atender o cliente, a segunda precisa fazer o mercado reconhecer como a sua marca é imbatível para solucionar os problemas.

Por isso, o gerente de marketing de produto precisa obter do desenvolvimento todos os detalhes que envolvem o processo de fabricação, a fim de identificar diferenciais que possam convencer o cliente de que aquele produto é, definitivamente, a melhor opção de compra.

A ideia é reunir e divulgar tantas informações positivas que façam o consumidor pensar: “isso é indispensável para mim”. Se o gestor de produtos fez o possível para atender a uma necessidade, o gestor de marketing vai fazer o cliente desejá-lo. Desde as especificações até a embalagem, tudo deve despertar o desejo que, como se sabe, é o grande propulsor do ser humano, inclusive de suas compras.

Os dois setores contribuem entre si de forma significativa. Para o desenvolvimento do produto, o setor de marketing pode trazer uma visão valiosa do que o mercado deseja.

É papel desse setor identificar o perfil do público-alvo que vai consumir o produto, suas necessidades, o que a concorrência oferece e como a empresa pode se diferenciar ou destacar.

Por isso, se você deseja que um produto seja aceito pelo mercado, garantindo a expansão da empresa, nada é tão eficaz quanto a integração da gestão de produtos e gestão de marketing. Ela pode identificar necessidades de seu público-alvo para desenvolver exatamente um produto que seja aclamado como a melhor solução para seus clientes.

Portanto, para que uma empresa tenha sucesso, é essencial que ela atenda às necessidades de seus consumidores. Garantir isso depende do desenvolvimento de mercadorias e serviços. Conciliar expectativa do consumidor e a produção é justamente o papel da gestão de produtos.

Pronto, agora você já conhece informações básicas sobre o desenvolvimento e gestão de produtos. No entanto, o mercado tem ainda outras exigências. Conheça agora uma delas: a importância da identificação de produtos por código de barras!

 
 

 

Postagens relacionadas
Recall de produtos: o código de barras para facilitar o processo
Produção em massa: 6 dicas para manter o controle sobre processos
Embalagens personalizadas: entenda por que vai muito além do marketing
Entenda como proceder com o fim do emissor da NF-e gratuito
7 dicas de logística para atacado que transformarão os processos

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web