Etiquetas de produtos: o passo a passo para produzir

Etiquetas de produtos: o passo a passo para produzir

No Brasil, os órgãos fiscalizadores são bem rigorosos quanto às especificações das embalagens de todo tipo de produto. São tantas informações nas etiquetas que, muitas vezes, ficam pequenas para caber tudo.

Mas isso não é uma coisa ruim. Muito pelo contrário, é uma coisa boa e importante tanto para o consumidor quanto para a sua empresa. A etiqueta pode ser utilizada como estratégia de negócios, uma vez que trabalhará a conquista da confiança do público consumidor e criará uma imagem de valor para a sua marca. Uma etiqueta bem feita também é responsável por demonstrar profissionalismo e gerar uma padronização da comunicação em diversos segmentos.

Devido à sua importância, preparamos uma lista com os passos que você deve seguir para produzir etiquetas de produto com alto grau de eficiência. Confira!

1. Planeje um rótulo com as especificações necessárias

As exigências do público consumidor estão aumentando e, com o passar do tempo, os rótulos de produtos foram ganhando mais e mais informações até chegar no padrão que encontramos atualmente. Esses dados são importantes para evitar fraudes e dúvidas, mostrando ao cliente tudo o que o seu produto contém de fato.

Dependendo do segmento em que você atua, algumas informações diferentes podem ser obrigatórias nos rótulos, então pesquise quais são elas para não ter problemas com a fiscalização e nem perder a credibilidade com os consumidores.

De forma padronizada, as informações mais exigidas são:

  • data de fabricação;
  • prazo de validade;
  • pesos e medidas;
  • código de barras;
  • ingredientes;
  • modo de conservação.

2. Atente para a data de validade dos produtos

Independentemente do segmento, informações como datas de fabricação e datas de validade são importantes para o consumidor e exigidas pelos órgãos fiscalizadores. Sem essa informação, o cliente e o lojista não têm como saber até quando ele estará disponível para o consumo e quando deverá ser retirado das prateleiras.

Como os produtos são, também por lei, lacrados e muito bem vedados, fica impossível verificar o estado do conteúdo dentro da embalagem. A menos que esteja especificado na etiqueta, que deve servir como base de consulta oficial.

Se você não sabe quanto tempo o seu produto dura após a fabricação, reserve alguns para testes diante de diversas situações, como exposição prolongada a luz, ao frio, ao calor, ambientes secos e úmidos, etc. Assim poderá inserir informações mais precisas nas etiquetas dos produtos.

3. Imprima informações sobre pesos e medidas

Outra informação importante que deve constar nas etiquetas dos produtos são o peso, tamanho, quantidade existente na embalagem e outras medidas.

Uma lata de conservas, por exemplo, deve ter as informações de peso drenado e peso líquido separadas. Já uma caixa de chocolates deve conter tanto o peso total da embalagem quanto o peso das unidades, além da quantidade unitária dentro da embalagem.

4. Especifique os ingredientes utilizados

Muita gente tem alergia a certos componentes químicos ou tipos de alimentos. Por isso, não só por uma questão de obrigatoriedade, mas para evitar que ele faça mal a alguém, liste nas etiquetas de produtos todos os ingredientes utilizados na fabricação.

O glúten é um exemplo disso. Muitas pessoas têm alergia a esse elemento e, antes de comprar um produto, sempre verificam no rótulo a sua presença na lista de ingredientes. Acredite: fazer isso vai lhe poupar enormes dores de cabeça no futuro e, ainda, mostrar sua responsabilidade diante do consumidor.

5. Diga o modo de conservação

Quando as pessoas compram um produto, muitas vezes não se preocupam com a forma de armazená-los em casa. Isso pode acelerar o desgaste e antecipar o vencimento. Mais uma vez, você entra com o papel de informar, por meio da etiqueta, qual é o melhor modo de conservação.

As pesquisas que mencionamos no tópico 2 servirão como base para orientar o cliente sobre como o produto deve ser armazenado de forma eficiente a ponto de prolongar a sua durabilidade.

6. Padronize as informações

Para que todos os produtos falem a mesma língua no mercado, tente seguir um padrão de comunicação.

Você pode mudar uma coisa ou outra para criar a identidade da sua marca, mas não fuja do padrão. Como o consumidor já está acostumado com a forma existente, mudar isso pode gerar desconforto e impedir que o cliente compre o seu produto.

Quando você se comunica de forma padronizada, facilita a leitura e compreensão das informações por parte do consumidor e dos colaboradores do centro de distribuição.

7. Emita códigos de barras

O código de barras é um dos itens mais importantes que deve estar contido na etiqueta de produtos. Por meio de equipamentos com leitores ópticos, um laser escaneia o código de barras e demonstra na tela todas as informações que o lojista e o consumidor precisam saber sobre ele.

É importante para a consulta de preços dentro da loja e registros nos caixas quando o cliente for levar o produto. Além disso, o código de barras facilita a gestão dos produtos, uma vez que as informações de nível gerencial são facilmente acessáveis, bastando apenas passar o leitor óptico sobre ele.

Ou seja, o código de barras é uma forma de digitalizar as informações sobre o seu produto e facilitar a vida tanto dos consumidores quanto dos lojistas que o comercializam.

8. Tenha apoio profissional

Planejar e criar uma etiqueta de produtos completinha e com uma boa imagem pode ser uma tarefa bem complexa para ser realizada sozinho. Além do mais, essa é uma estratégia que envolve tempo, dedicação e conhecimentos profundos sobre o público consumidor, o padrão do mercado e as leis vigentes.

Caso não tenha as qualificações, habilidades e experiências necessárias, recomendamos contar com o apoio de uma empresa especializada no assunto, que poderá te ajudar com:

  • CNP (Cadastro Nacional de Produtos);
  • qualidade dos dados inseridos nas etiquetas;
  • geração e emissão de códigos de barras;
  • conformidade de pesos e medidas;
  • calculador de dígito verificador.

As etiquetas de produtos têm tudo a ver com a estratégia do seu negócio. Afinal, é o contato direto do consumidor com o seu produto na loja. Agregue identidade à sua marca e crie valor para ela com as etiquetas.

Pronto para começar? Entre em contato com a gente agora mesmo e descubra como podemos ajudar!

Postagens relacionadas
Guia da logística para exportação: como começar com sua PME?
Como exportar produtos dentro da lei?
Aprenda a usar a mobilidade para fortalecer o relacionamento com o cliente
O que é automatização de processos e quando e como iniciar?
O que é automatização de processos, quando e como iniciar?
Preciso de código de barras para meus produtos?

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web