alimentos

Como fazer uma distribuição de alimentos eficiente?

Como manter a qualidade dos produtos perecíveis desde a matéria-prima até a mesa do consumidor? Todo empreendedor da indústria alimentícia passa por dificuldades na hora de fazer a distribuição de alimentos. Afinal, é preciso ter cuidado com cada detalhe, como a embalagem, o acondicionamento, o clima, o transporte, entre outros elementos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declara que esses cuidados são de responsabilidade do fabricante. Portanto, para garantir a integridade do que você vende e manter os custos operacionais sob controle, é importante conhecer as particularidades de todo o processo logístico.

Para ajudar você nessa tarefa, preparamos este post. Ficou interessado? Então, continue acompanhando!

A importância da preservação dos alimentos perecíveis

Conforme determinado no Artigo 6 do Código de Defesa do Consumidor, os consumidores têm direito à “proteção da vida, saúde e segurança contra os riscos provocados por práticas no fornecimento de produtos e serviços considerados perigosos ou nocivos”.

Em outras palavras, os responsáveis pela produção jamais devem entregar alimentos estragados ou fora do prazo de validade. Oferecidos dessa forma, eles podem causar infecções e uma série de outras complicações à saúde dos consumidores.

Nesse sentido, o transporte é um elemento extremamente importante no fornecimento da maior parte dos produtos. É a ligação- chave na cadeia de fornecimentos. Ele interliga todas as atividades na cadeia alimentar e inclui a produção primária de alimentos, a colheita, o processamento, o manuseamento e o armazenamento e os pontos de venda.

Dicas para melhorar a logística de alimentos na sua empresa

1. Adote a embalagem correta para preservar o produto

O tipo de embalagem é o primeiro fator a ser considerado na distribuição de alimentos. Além da caixa ou pacote que envolve o produto, é importante adquirir os contentores, paletes e contêineres que serão utilizados desde a armazenagem, passando pelo transporte, até o ponto de venda.

Uma embalagem pode exercer as seguintes funções:

  • primária — é o tipo de embalagem que está em contato direto com o alimento;

  • secundária — é a bandeja ou o filme que envolve a embalagem primária;

  • terciária — é o contentor que reúne as embalagens secundárias de forma compacta e facilita o transporte da carga;

  • quaternária — é o palete padrão que unitiza as embalagens terciárias para o transporte;

  • quinária — é um contêiner ou outro tipo de embalagem especial utilizada para o transporte.

2. Invista em código de barras para a distribuição de alimentos

O uso do código de barras permite que seus produtos estejam dentro dos padrões estabelecidos por lei. O código EAN-13 é universal e possui 13 dígitos. Ele também garante a adequação do produto dentro e fora do país.

Outro benefício dessa tecnologia é poder identificar os lotes das mercadorias com rapidez e eficiência. Para produtos de tamanho pequeno, o ideal é o código DataBar. Para a organização da logística interna, o TF-14 é o mais recomendado, pois ele fica bem visível por fora das caixas de papelão.

3. Mantenha o local higienizado e refrigerado

Alimentos perecíveis merecem muita atenção quanto à forma de armazenamento, uma vez que estão sujeitos à contaminação por micro-organismos e deterioração em contato com o ambiente.

O armazenamento deve ter a temperatura ideal de refrigeração para a preservação das propriedades do alimento. O local precisa ser constantemente higienizado para que não ofereça nenhum risco de contaminação, de acordo com os padrões da Agência Nacional de Vigilância Sanitária — ANVISA.

Para a integridade dos produtos perecíveis, a temperatura assume uma importância fundamental. Os produtos alimentares devem ser mantidos a níveis baixos ao longo da cadeia de frio. No caso do transporte de alimentos refrigerados, é necessário assegurar que a circulação de ar não atinja temperaturas inferiores a -1 ºC.

A temperatura do ar deve ser o mais constante possível, já que a flutuação pode acelerar a perda de água e a permitir a formação de gelo dentro da embalagem de alimentos excessivamente congelados.

Alimentos refrigerados

Geralmente, a temperatura deve ser a mais baixa possível, ou seja, acima do ponto de congelação. Por exemplo, para alimentos crus em que a temperatura de congelação é entre -1 e -2 ºC, o grau ideal de transporte é de -1 ºC. Na prática, não é possível manter uma temperatura constante. Ao regular o controlador, deve-se ter em consideração a sua exatidão e precisão de modo a evitar que a temperatura de congelação seja atingida.

Alimentos congelados

A qualidade é mantida de forma mais adequada quando a temperatura é tão baixa e constante quanto praticável.

Em armazéns de congelação, a temperatura é, muitas vezes, de -28 ºC; no transporte, fica normalmente entre -18 e -25 ºC.

4. Preserve o produto com a paletização

O sistema de transporte é um dos momentos mais delicados da logística do alimento, pois ele fica vulnerável ao clima e ao manuseio inadequado. Por isso, é preciso criar estratégias para preservá-lo durante o trajeto.

É recomendável que os produtos sejam paletizados para fazer embarque e desembarque. Isso ajuda a evitar choque térmico e contaminação. Os responsáveis pelo transporte devem evitar o excesso de umidade e condensação, de acordo com o padrão exigido para cada tipo de alimento.

5. Aumente a agilidade da logística para não perder os produtos perecíveis

Produtos perecíveis não podem passar muito tempo longe de um local seguro e refrigerado. Se o processo logístico for demasiadamente longo, isso pode significar prejuízos para sua empresa.

Por isso, os processos de armazenagem exigem muita atenção da equipe. No entanto, se o seu pessoal for preparado e tiver toda a infraestrutura necessária para remover, transportar e dar um destino correto ao produto, isso não será um problema.

Como você viu, para fazer a distribuição de alimentos de maneira eficiente são necessários alguns cuidados, como a armazenagem correta, o transporte ágil, o clima adequado, entre outros fatores. Além disso, é importante considerar que a embalagem certa ajuda a preservar a integridade do produto e a conservar o alimento.

Agora, que tal receber outros artigos com dicas práticas para o seu negócio? Curta a nossa página no Facebook para acompanhar todas as nossas atualizações!

 

Postagens relacionadas
marketing
Marketing para pequenas empresas: por onde começar a investir?
Profissionalização de empresas: o passo a passo para o sucesso
Como usar KPIs para gerar transformações significativas?
6 dicas para definir os indicadores de desempenho de sua empresa
Como profissionalizar uma empresa? Entenda em 8 passos

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web