A embalagem do seu produto e sua relação com a identidade da marca

Houve um tempo em que tudo era vendido a granel: o cliente levava o produto sem embalagem, embrulhado em papel ou saco plástico. Não existia vínculo do consumidor com a marca, pois ela não tinha nenhuma identidade visual.

Nos dias atuais, esses mesmos produtos ganharam personalidade própria e a capacidade de satisfazer as necessidades emocionais do consumidor. O logotipo de uma marca, as cores que são usadas como padrão no rótulo, os desenhos, imagens e símbolos… Tudo isso comunica uma cultura e ajuda a construir engajamento com o público.

Pare e pense: os valores da sua marca estão representados na sua embalagem atual? A sua embalagem comunica e valoriza o produto? Esses questionamentos são muito importantes, pois fazer o consumidor se identificar, escolher e levar o produto para casa depende essencialmente de uma boa apresentação.

A importância da embalagem para a visibilidade da identidade da marca

A qualidade de um produto é essencial para que ele se transforme no queridinho do consumidor, mas o que adiantaria ser bom e ficar escondido dentro de uma embalagem comum, sem a identidade que comunica as características da marca?

A embalagem é o principal recurso comunicativo entre o consumidor e a marca, é um dos pontos mais fortes de contato direto com o público-alvo. Ela é responsável por despertar emoções, mexer com os sentidos, gerar determinadas percepções como satisfação, bem-estar, alegria e prazer em consumir aquela marca.

Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), 75% das empresas que investiram em design de embalagem aumentaram as vendas. Esse recurso pode fazer uma grande diferença no domínio de mercado e proporcionar o crescimento das vendas, além de criar um valor significativo para a marca.

Investir em uma embalagem atrativa é uma estratégia vantajosa para todos: a empresa tem um forte poder de sedução para atingir o consumidor por meio dos sentidos da visão, tato, paladar e olfato; já para o consumidor, representa um benefício tangível, com informações sobre o produto adquirido, entre outros detalhes.

Quebrar padrões no design da embalagem: risco ou inovação?

A sociedade muda constantemente de comportamento e estilo de vida. Nesse cenário, para que uma marca continue prosperando é necessário que as embalagens sejam reconhecidas em diferentes contextos de época.

Por esse motivo, muitas vezes a inovação é uma necessidade para se manter atrativo para o consumidor e sobreviver no mercado. Um exemplo disso é o Leite Moça, da Nestlé. Desde a sua criação (1986), o produto passou por diversos ajustes no design: a figura da moça comportada de trajes apagados recebeu características mais definidas e mais sensualidade. A lata do produto também foi modificada e ganhou um visual mais moderno, com curvas que facilitam o manuseio.

Fato parecido aconteceu com a empresa fabricante do Óleo Composto Maria. Ao identificar que o produto estava perdendo mercado por não se identificar mais com o público-alvo, a marca rejuvenesceu a figura da senhora robusta de lenço na cabeça. As cores do fundo ganharam mais vida e foram incluídas oliveiras e azeitonas. Com a nova identidade visual mostrando uma mulher mais jovem e mais colorida, a embalagem ajudou a atrair o público com mais força, fortaleceu a imagem do produto e recuperou as vendas.

E quando a marca possui múltiplas linhas de produtos?

Quando o fabricante dispõe de múltiplas linhas de produtos, é importante manter a essência da marca. No entanto, cada linha precisa da própria identidade e posicionamento. Um exemplo são os produtos da Unilever, uma multinacional que produz 700 itens de diferentes marcas aqui no Brasil.

Os lançamentos desses tipos de produtos não podem ser orientados apenas com foco na estratégia comercial, engenharia ou logística. É necessário fazer um planejamento minucioso, capaz de privilegiar a extensão da marca em sua totalidade. Dessa forma, a marca-mãe poderá acumular prestígios por meio de todas as outras linhas de produtos.

Estudo de caso: a criatividade da Coca-Cola

A Coca-Cola é uma das marcas que mais inovou na identidade visual da embalagem sem perder a tradição e a essência do nome. Desenvolvida em 1886, a bebida mais popular do mundo chegou ao Brasil em 1942. A partir da década de 80, a empresa inundou o mercado brasileiro com diversas novidades.

Primeiro foram as embalagens one way, as descartáveis. Em seguida, vieram as garrafas com tampa de rosca, que inspiraram outras maiores. A lata de alumínio foi desenvolvida com material 100% reciclável. Pouco tempo depois, o consumidor foi surpreendido com a garrafa plástica tamanho família que, além de oferecer praticidade, atendia às leis internacionais de proteção ambiental. 

Em 2001, quando a concorrência começou a incomodar, a Coca-Cola lançou a famosa garrafa contour, inspirada na saia funil — moda da época do surgimento da bebida. Edições históricas como essas causam um sentimento de surpresa e inspiram o desejo de colecionar as embalagens.

Como não lembrar da euforia causada pelo lançamento das embalagens com nome de pessoas? Era comum ver consumidores postando a imagem da latinha personalizada nas redes sociais. Uma ideia que envolveu, emocionou e marcou.

8 dicas para criar uma boa embalagem

  1. Faça uma imersão profunda na sua marca e elabore o briefing do produto, que deve conter todas as informações sobre características, funcionalidades, objetivos, público-alvo, entre outras.
  2. Priorize a personalidade da marca por meio da identidade visual. Seja criativo, original e verdadeiro para se destacar da concorrência. Para isso, é importante buscar ajuda de um design profissional.
  3. Defina qual a categoria do produto, pois cada uma tem códigos visuais diferentes que representam determinado nicho. O código errado acarretará falsas interpretações e prejudicará as vendas.
  4. Para a eficiência do processo de criação da embalagem, reúna a sua equipe de marketing, agência de design, fornecedor da embalagem e toda a cadeia de produção para ajudar nesse processo.
  5. Invista em embalagens inteligentes para surpreender o consumidor. Hoje, é possível usar recursos da tecnologia para agregar mais valor ao produto. Converse com o fornecedor de embalagens para conhecer as opções.
  6. Caso seja útil para o projeto, invista em embalagens com transparência. O consumidor adora saber exatamente o que está comprando e visualizar parte do produto antes mesmo de abrir o pacote é uma ideia bem-vinda.
  7. Para valorizar ainda mais a sua embalagem, agregue conteúdo digital. Você poderá disponibilizar um QR Code que, ao ser escaneado no celular, levará o consumidor a assistir um vídeo com dicas sobre o produto.
  8. Obedeça às regras previstas por lei que devem estar na embalagem, de acordo com o tipo do produto. Geralmente, são informações como quantidade em unidades, peso, validade, fórmula química, quem deve usar, como deve ser armazenado, entre outros.

Percebeu como a identidade da marca tem uma conexão muito forte com a embalagem? Existem muitas estratégias de marketing capazes de fazer você se diferenciar da concorrência, mas a roupa que o seu produto está vestindo é a mais importante de todas!

Gostou de saber um pouco mais sobre esse tema? Leia também nosso artigo sobre embalagens sustentáveis e os 5 benefícios do seu uso para sua empresa. 

Postagens relacionadas
relacionamento
Como melhorar o relacionamento entre comprador e vendedor?
Diferencial competitivo: saiba como conseguir no ambiente online
Diferencial competitivo: saiba como conseguir no ambiente online
7 formas de melhorar o desempenho do setor de atendimento ao cliente
9 dicas para criar uma embalagem de exportação incrível para seu produto
Conheça 5 vantagens de ter um centro de distribuição próprio
Conheça 5 vantagens de ter um centro de distribuição próprio

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web