5 métodos de rastreabilidade que podem ajudar sua empresa!

Rastreabilidade significa ser capaz de dizer onde um determinado item está e em quais condições ele está, ainda que à distância. Em alguns casos, é um termo que pode significar garantir a segurança e a confiabilidade de determinadas informações, como a procedência de um produto.

Devido a essas características, esse é um elemento logístico importante para o seu negócio e que pode influenciar fortemente os resultados dele. Sem ele você não tem informações completas sobre o produto e, portanto, seu gerenciamento é mais difícil. Conhecer os métodos de rastreabilidade, portanto, é uma forma de conhecer formas de ajudar a sua empresa.

Confira a seguir cinco desses métodos e saiba como utilizá-los adequadamente!

Manufatura automatizada

Internamente, conhecer em que estado de produção se encontra um insumo é fundamental para garantir uma boa rastreabilidade.

Nesse sentido, uma opção bastante utilizada é a manufatura automatizada. Nesse tipo de sistema de rastreabilidade os produtos contam com etiquetas do tipo RFID de modo que sejam enviadas informações a cada próxima etapa na qual o produto entra.

Para isso, é necessário realizar uma integração ao sistema de execução de fabricação, também conhecido como MES. Ele é um sistema computacional que é responsável por manter esse histórico de posição do insumo na cadeia produtiva.

Essa é uma opção especialmente útil porque não apenas indica a posição de um determinado insumo em certo momento, mas também cria um histórico completo relativo à produção. Caso seja necessário apresentar informações relativas ao processo produtivo, essa integração também garante a disponibilidade desses dados.

Kanban eletrônico

O sistema Kanban foi inicialmente desenvolvido como uma forma de controlar o fluxo de produção por meio de ordens de pedido de entrega ou requisição de materiais relativos à linha produtiva de um determinado setor. Essas ordens de pedido apareciam em forma de cartões de sinalização e poderiam indicar, por exemplo, que uma linha produtiva concluiu a finalização do produto ou que demanda mais matéria-prima para dar início a um novo lote.

Com a entrada da tecnologia no controle produtivo, o Kanban também ganhou ares digitais e, por isso, se transformou em Kanban Eletrônico. Nesse caso, o processo de sinalização se tornou mais automático de modo que seja possível mapear o movimento dos insumos de maneira geral.

Além disso, o Kanban Eletrônico também é responsável por realizar as ordens de pedido e faz isso de uma forma que o inventário de produtos seja levado em conta. Se uma matéria-prima está prestes a atingir seu prazo de validade, por exemplo, o Kanban Eletrônico pode automaticamente detectar essa situação e determinar que esse material seja utilizado na frente dos demais.

Mais do que rastrear, portanto, esse sistema também ajuda na administração correta, tanto quanto possível, dos recursos existentes.

Etiquetagem de embalagem terciária

Na logística interna também é possível realizar uma etiquetagem de embalagem terciária, como dos pallets. Nesse caso, não é o insumo que é controlado até se tornar o produto final, mas, sim, o produto final em lotes.

Nesse caso são colocados códigos de barra do lado de fora dos pallets de modo que a identificação seja facilitada, ainda que à distância. Com isso, a entrada no estoque, por exemplo, se torna mais controlada e mais rastreável.

Também é mais fácil localizar lotes de produto que podem ser divididos de acordo com a data de fabricação, por exemplo.

Em empresas que possuam um grande volume de movimentações no estoque, esse sistema de rastreabilidade é praticamente indispensável para que não apenas se saiba onde estão determinados produtos, mas também para controlar melhor as características de cada um — o prazo de validade é um exemplo.

Gerenciamento de ativos

Ativos como maquinários, meios de transporte e outros componentes que fazem parte de uma boa logística podem ser rastreados por meio de seu gerenciamento.

Para isso, é preciso controlar a vida útil desses ativos graças à avaliação de mudanças no estado, depreciações e mais.

Isso leva a uma adaptação às necessidades específicas do negócio, já que se for preciso produzir ou armazenar uma determinada demanda, é possível identificar qual é o mais recomendado para a tarefa.

Ocorre também a otimização do uso desses ativos. Com mais controle sobre as mudanças é possível prever a necessidade de manutenção ou estabelecer o máximo de disponibilidade de modo que a produtividade seja positivamente afetada.

Essa opção é mais focada na estrutura interna da empresa e deve ser preferencialmente utilizada com outras opções direcionadas mais aos produtos em si. Dessa forma, é possível estabelecer um controle tanto sobre os produtos quanto sobre os ativos utilizados para sua produção.

Rastreamento externo de logística

Uma vez que o produto tenha saído da sua empresa, ainda assim é possível rastreá-lo. Isso é possível ao utilizar uma frota própria que é monitorada em tempo real com aplicativos e dispositivos que transmitem informações como a posição do veículo de entrega.

Essa opção é especialmente útil quando a logística de entrega desempenha um papel ainda mais importante nos resultados do negócio. Empresas que fazem entregas urgentes, por exemplo, precisam realizar um controle estrito das mercadorias de modo que consigam cumprir o prazo estabelecido.

Também é possível exercer um rastreamento externo de logística a fim de garantir a alta confiabilidade e procedência dos produtos. Pode ser empregado, por exemplo, no segmento de medicamentos brasileiros. Como uma maneira de evitar as falsificações de medicamentos, as embalagens secundárias deverão ter um código GS1 DataMatrix, com as informações completas sobre o produto. Essa solução tão inovadora já existe no país e foi desenvolvida pela GS1 Brasil. Você pode conferir mais informações acessando aqui.

Esse tipo de identificador é conhecido como Identificador Único de Medicamentos (IUM) e é impresso em forma de etiqueta a ser afixada na caixa. Quanto à embalagem primária, o código de barras tradicional poderá ser a escolha a ser feita.

Os métodos de rastreabilidade que podem ajudar sua empresa incluem desde os métodos internos e produtivos, como a produção manufaturada, até métodos que envolvem logística externa. É possível, então, exercer um controle em toda a cadeia produtiva e ter mais informações sobre o estado do produto a cada etapa. Apesar disso, cada um desses métodos se adéqua melhor a um tipo de empresa, que deve considerar o volume de produção e de movimentações para identificar aquilo que fizer mais sentido.

Aproveite e compartilhe esse artigo nas redes sociais para debater com outros profissionais sobre o assunto!

Postagens relacionadas
Como realizar um controle de estoque realmente eficiente?
6 vantagens da otimização de processos em pequenas empresas
6 vantagens da otimização de processos em pequenas empresas
Criação de embalagens: 6 erros que a sua empresa não pode cometer
código de barras
Entenda a obrigatoriedade e o uso do código de barras na NF-e
FCL e LCL: entenda o que significam no transporte de cargas
2 Comentários
  • sivaldo cavalcanti silva
    Responder

    que documentação e preciso para obter as código de barras no meu caso eu sou produtor rural trabalho com horticultura e quero colocar o código de barra nas embalagens das verduras para vender nos \r\nmercados. não tenho firma somente a inscrição estadual.

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web